Encontrar meu NAS amor

Ausência - Prólogo

2020.11.28 22:06 oliviaandre Ausência - Prólogo


Nascemos uma página em branco que é escrita diariamente num reflexo das ações dos que nos rodeiam, que foram já também eles, noutros tempos, tabula rasa. Nascemos limpos, e crescemos a tingir a frescura do papel com as inquietudes dos que observamos. Cada gesto inconsciente de um adulto é um trauma escondido numa criança, e todos nós somos ambas personagens na nossa própria história, personagens essas tão distintas que as liga apenas a teia do tempo.
Tempo. Outro conceito tão comum quanto incognoscível. O sol e o céu são os mesmos, mas nós morremos e renascemos com cada ciclo cardíaco, até que este se interrompa. E corremos como loucos atrás de cenouras invisíveis como se no fim não acabássemos todos no mesmo lugar. De nada a coisa nenhuma, com tanta ênfase nos entretantos. Nascemos puros, e algures no caminho perdemos a espontaneidade de existir para passar a procurar significados de coisas vazias e triviais. Quer-se a fama, o proveito, o reconhecimento. Quer-se aprovação e integração, como ovelha em rebanho. Que pavor o de acabar como ralé, que temor esse de não ser respeitado. Vivemos a vida confinados nos espelhos que nos rodeiam, e somos terras devolutas por explorar nessa prisão que é a opinião alheia.
E vivemos em sombras, com um medo terrível que alguém tenha um vislumbre da nossa essência, enquanto criticamos os restantes por viverem desta mesma forma. E quando conhecemos realmente alguém que tem a coragem de sair à luz do dia connosco, é quase magia.
Mas não é magia, é química. Tudo se reduz a hormonas, e à sorte de ter cruzado um ser numa fase semelhante de vida e disponibilidade. E aquelas sensações que nos fazem pensar que os nossos pais nunca iriam perceber, percebemos nós mais tarde que também eles as sentiram. E aquele grande amor que desvaneceu, é afinal apenas mais uma nesse universo infinito de versões que se prendem na teia do tempo. Não tem nada de único ou relevante, senão para os que a vivem. E apenas durante algum tempo, a não ser que ambos escolham ficar. E é isto o amor, escolher ficar depois das cores se desvanecerem em preto e branco, depois do entusiasmo e desejo desaparecerem sem aviso.
É acolher nos braços a tolerância à insistência de hábitos que não fogem. É abraçar o mundano e construir um quotidiano até que a mente se esmoreça de tédio.
E então, se é tão conscientemente fabricado e temporário, porque queremos nós amar ? E porque escolhemos tornar o que era para ser temporário permanente? E como sabemos nós a diferença ? O que é amar senão uma escolha ?
Curioso como comecei por criticar o crescimento humano nesta vontade inglória de ter um significado atribuído à vida e às coisas que a compõem, e dois parágrafos depois estou eu a fazer o mesmo. Atribuir significado a conceitos desprovidos dele. Que prova do vislumbre de humanidade nos meus gestos robóticos - saber que corre a vida como rio para o mar, e ainda assim tentar remar contra a corrente.
A leitura que se segue não trará a si, leitor, qualquer moralidade – nada de novo. É mais uma vez a mesma parvoíce cantada noutros tons, contada noutras palavras, vista com outros olhos. É a repetibilidade de padrões que já foram usados até enjoar, é uma nova versão da história de dois estranhos que se apaixonam na sombra, e na sombra se separam. É mais uma história de paixão e ingenuidade. Não há aqui amor senão o que perdi em mim. Não há aqui significado, nem muito menos lições de vida paternalistas de alguém que se julgue milhafre a ver a caça no chão. Há pedaços de vida crua e errónea, que aconteceu. E por me ter acontecido a mim, que vivo demasiado na minha própria cabeça, acabou a tingir de vergonha alheia este papel. E escrevo a vida, desavergonhada, com orgulho por ter tido coragem de sentir, ainda que soubesse, pelo menos desta vez, que era temporário.
Não há romance, senão em efémeros momentos em que esses processos químicos do corpo me toldaram a visão e fizeram pingar de mim palavras onde não me revejo hoje, vazia e contente. Há carne viva e crueldade, e há mundano. Há pedaços de realidade que se fundem com a ficção da narrativa que construí na minha própria cabeça enquanto a vida acontecia à minha volta. Há segredos que nunca vou poder gritar ao mundo senão deste canto das minhas quatro paredes para uma folha de um livro. Há dor que por ter sido processada é agora despejada em conjuntos de palavras que nem sempre fazem sentido. Há pedaços de mim que ninguém que me conhece sabe, e há pedaços que me identificam aos que me conhecem. E que sublime não ter de ser senão eu, protegida neste canto de anonimato.
Que falsa segurança, esta de me poder esconder atrás de um nome que não é meu, como se não fosse na mesma a minha vida em livro aberto. E que hipócrita criticar a vida dos outros nas sombras, quando todos os pedaços providos de sentimento da minha se escrevem no escuro e se dissociam da imagem de perfeição que projeto aos olhos de estranhos, também eles perfeitamente imperfeitos.
E que sonho febril será esta jornada, que relata os recantos mais obscuros da minha mente como nem eu os conheço, que é desprovida de objetivo e que é senão um reflexo da realidade filtrada na ilusão no meu olhar. Ao leitor aviso, a narradora é tendenciosa. E bem vistas as coisas, não será que o são todos os narradores?
Narramos diariamente episódios particulares das nossas vidas aos que nos rodeiam. E nunca a nossa versão corresponde à realidade, mas à interpretação unilateral de eventos que registamos na memória. E a memória é traiçoeira. Lembramos com carinho momentos isolados, até que não nos lembre mais o contexto. Imagens que se desfocam a cada segundo, e que se derretem nos interstícios de outros tantos instantes não gravados. Com o passar do tempo, nenhuma memória do evento reflete senão uma opinião formada da fotografia tratada que inconscientemente se escolheu gravar na mente, que de facto nos mente a todo o instante.
E seguimos assim, estrada fora, umas vezes acompanhados, outras tantas sós, à procura de um significado, de algo que justifique a nossa pálida existência. E andamos em círculos, correndo as veias de todas as explicações infundadas. E o que seria de nós se perdêssemos a vontade de procurar significado? Não é precisamente isso que nos permite humanizar as nossas atitudes? Que era do mundo se a criança não quisesse saber porque gira a terra em torno do sol, porque falam os humanos e ladram os cães?
Na verdade, e bem vistas as coisas, a realidade é que a terra continuaria a girar e os cães a ladrar. Os humanos, esses, talvez não falassem. Pois, que diálogo haveria para ter onde não há perguntas a fazer?
E alguns creem ter respostas, e espalham a sua fé como verdade absoluta. E que é a fé, senão mais uma prova inequívoca do temor absoluto que temos de aceitar a efemeridade da nossa existência? Um suspiro do universo, e cessamos de existir. É tão grande este nosso medo de nada que tecemos contos e fábulas em torno de argumentos refutáveis, e lutamos com paixão e sem compaixão quem quer que tenha tecido outra versão, pois a nossa é que é verdadeira. Talvez o medo seja mais humano que o amor, pois parece fechar todas as portas que a empatia abre.
Eu avisei que o sonho era febril.
E não é senão a minha vontade tão tristemente humana de perceber se o amor é apenas uma construção social que não se reflete em mim, ou se por baixo deste manto de realismo medonho ainda existe uma romântica sem cura. Não espero encontrar a resposta, porque mudo a cada instante. Quem fui ontem não é quem me construo hoje, e ainda menos quem quero ser amanhã, e a cada segundo morre um pedaço de mim que deixa outro nascer.
Quem fui ontem, foi uma criança em pele de adulto a fingir que entende o mundo à volta, enquanto acredita veemente em todas as histórias que a sua mente fabrica. Hoje sou ainda criança em essência, mas manchada de cinismo até para comigo mesma. E desse cinismo alimento as linhas de pensamento que tão desavergonhadamente transformo em pedaços de escrita criativa da qual se tira nenhum propósito.
E disto é também aparente o meu medo e a minha procura por significado. Se para mais nada, que sirva este depósito de pensamento para que aceite provas da minha própria humanidade, e me deixe de fingir autómato nesta falsa altivez.
submitted by oliviaandre to escrita [link] [comments]


2020.11.28 13:37 blankinho estou me sentindo muito feliz mas confuso ao mesmo tempo

Há muito tempo atrás, eu conheci na escola um cara que eu começei a fazer amizade com ele, e acabou virando minha paixão, mas sempre mantinha em segredo, até que um dia eu tive que viajar para outro país. Mas antes de ir embora eu tinha confessado meu amor por ele e no final ele não quis namorar comigo. Quando eu estava em outro país eu continuava conversando com ele tal ainda com esperanças, até que um dia eu confessei novamente que gostava dele mas no final ele disse que me considerava apenas como um amigo. No final eu voltei para o Brasil e com essa pandemia eu não consegui me encontrar muito com ele, mas continuávamos a conversar. Mas quando chegou meu aniversário que foi recentemente, ele me ligou por vídeo-chamada pq estava com saudades de mim e tals, mas o que me deixou confuso foram algumas frases que ele soltou na conversa do tipo, ´´ah, vem na minha casa para dormir na virada do ano pq como eu durmo em cama de casal, tem espaço para a gente dormir juntinho de conchinha ou abraçadinho´´ ´´como vc ronca, eu vou colocar a cabeça no seu peito para ver se melhora e fazer bastante carinho´´ ´´depois vê se acostuma em dormir só de cueca pq eu já tenho esse costume, aí quando vc dormir aqui vc não vai estranhar´´ e o que mais me afetou positivamente foi ``eu descobri ultimamente que vc me faz bem´´
Aí cara, eu estou muito confuso com a situação pq ele sempre trata as pessoas com carinho e é muito difícil para mim distinguir se ele está a fim de algo ou está só tratando do jeitinho dele, mas nesse caso eu acho que ele está querendo me conhecer melhor para depois tentar algo sério?
O que vcs acham dessa situação? Eu obviamente vou tentar convencer minha mãe se eu posso passar a virada do ano com ele, mas ainda tenho receio de que no final das contas ele só esteja me tratando como um amigo mesmo
submitted by blankinho to arco_iris [link] [comments]


2020.11.24 16:56 ThrowAwayLovePt Como criar um monstro (história verdadeira/desabafo)

Criei esta conta apenas para este desabafo e para pedir opiniões. Há coisas que na vida não fazem sentido, mas o amor deve estar no topo da minha lista.
No ano passado iniciei uma relação com uma rapariga, após vários meses de amizade, avançamos. Parecíamos perfeitos, um complemento um do outro. Logo no inicio surgiu um percalço, o ex namorado dela que tinha sido mau para ela e que a abandonou aquando um problema de saúde dela, andava de novo a enviar-lhe mensagens. Falei com ela, ela garantiu-me que ele era passado e que não ia falar com ele. Ela começou a ficar estranha, e através de uma amiga soube que se andava a encontrar com ele. Houve uma zanga entre nós, mas uma semana depois estava tudo resolvido e ela bloqueou-o em todo o lado.
A relação prossegui bem e feliz. Parecia que estava a viver um conto de fadas. Muita gente e amigas estavam contra a nossa relação. Ela era um pouco mais "forte", eu "atlético", corpo definido, bom emprego. As amigas dela mandavam constantemente piadas por causa disso.
Fomos passar a passagem de ano num hotel. Fui buscá-la a casa e o comentário que ouço. "Ai a minha amiga vai para um hotel de 5 estrelas e o namorado é que paga". Pois, nós estávamos num de 4 estrelas. Enfim.
No inicio deste ano, mudei de emprego para um grande empresa. Ainda não me esqueci. Estava a fazer a formação por essa empresa, só na parte da manhã. Era o dia dos namorados, durante a tarde fui ter com ela, pois ela estudava ainda, daí ter mais tempo, e passámos o resto do dia juntos.
Vim a descobrir mais tarde, que esteve comigo e nesse mesmo dia a combinar uma saída com o ex dela. Como? Foi ela que me mostrou as mensagens, mas diz que não aconteceu nada.
A relação continuou meia abalada. Com o covid, perdi o meu "bom" emprego e tive que ir trabalhar num supermercado. Mas mesmo assim, continuei a ajudar-lhe e a dar presentes caros. Inclusive fiz-lhe os testes dela e alguns trabalhos. Acaba o ano letivo, diz-me ela que funcionamos melhor como amigos. Chorei, disse-lhe que não, pedi por favor e ficou comigo.
A relação não durou muito, e ela andava comigo sem vontade, até ao dia em que eu disse acabou, chega. Foi em julho.
Em Novembro vi ela a publicar coisas na net, frases, vídeos daqueles xpto motivacionais. Percebi logo que não estava bem. Liguei-lhe, falámos, e a conversa correu bem.
Estávamos a ficar mais próximos, até que ontem liguei-lhe, ao atender o telemóvel começa a discutir e a insultar-me, dizendo que não quer anda comigo. Ainda ontem, ligou-me à noite, e já conversou comigo calminha, a dizer que estava nervosa e que o dia e a vida não lhe correm bem, que não tem ninguém. Disse a ela que entendia, e que podia falar comigo quando quisesse.
Hoje acordo, vejo que me bloqueou.
Isto faz sentido?
Agora o porquê do título: com isto tudo, andou e anda a dizer às pessoas que eu fui muito mau para ela, que a tratei mal. A família dela ficou a pensar mal de mim, os amigos igual, quando na realidade ela andava com o ex, e ainda agora diz uma coisa diferente a cada hora.
submitted by ThrowAwayLovePt to portugueses [link] [comments]


2020.11.23 07:40 outsider2677 Saí com uma garota hoje...

Hey pessoas, pra quem não sabe eu fiz um desabafo aqui há um tempo atrás, aquele em que eu falei sobre ser traído após 4 anos de namoro e que agora moro com meus pais.
Primeiramente agradeço de coração as pessoas q simpatizaram e tentaram me ajudar, de verdade. E em segundo lugar, a dor do término ainda está comigo mas acredito q o pior já passou. Eu e ela cortamos contato após a última vez q nos falamos.
Agora ao desabafo, depois de passar tanto sofrimento, eu decidi mudar minha vida. Estou imensamente mais positivo atualmente com as coisas e estou tentando ser o melhor possível com meus amigos e parentes, sabe, estou dando o meu melhor pra que todo mundo q eu conheça seja ouvido, reconhecido e amado.
Hoje aceitei sair com uma amiga que eu conheço desde o ensino médio, tivemos uma leve estorinha na época mas n resultou em nada, voltei a falar com ela recentemente e ela me chamou pra sair hoje, eu aceitei e nos encontramos.
Eu confesso que fiquei muito nervoso de início maaas tentei ser o mais positivo e autêntico possível, coisa q eu havia deixado pra trás faz tempo. E mano, o "encontro" fluiu muito bem, eu fiquei genuinamente bem feliz de me encontrar com ela, como falei, tivemos uma estorinha no passado mas era coisa de adolescente, e eu nao fui com o intuito de ficar com ela e nem nada (coisa que nao aconteceu).
E eu acho que o término que eu passei me fez dar mais valor aos sentimentos das pessoas e eu acho q esse encontro saiu super bem por isso. Eu não a tratei como uma possível ficante (nunca faria isso) e sim como uma pessoa com defeitos, qualidades e vontades. E cara, eu amei demais todo o dia q passei com ela, falamos sobre sexo, namoro, amizades.
E eu quero agradecer todos vocês por terem me ajudado nesse perrengue que eu passei. Vocês são as melhores pessoas do reddit, de verdade.
O que eu digo é, dê amor pras pessoas sem esperar nada em troca. Eu falo por mim, pois minha natureza é pessimista e niilista (outra hora explico) e mesmo assim, o que mais tem me deixado feliz ultimamente é amar (ou pelo menos tentar) o próximo.
Amo vocês, pessoas anônimas!!!
submitted by outsider2677 to desabafos [link] [comments]


2020.11.20 15:15 BlindEyeBill724 Praeambula Fidei, artigo do Prof.Edward Feser

Praeambula Fidei, artigo do Prof.Edward Feser


Segue a tradução do artigo do Prof.Edward Feser em torno do Praeambula Fidei (por que isso é importante à apologética cristã, ver o post introdutório deste subrredit¹), encontrado originalmente em → http://edwardfeser.blogspot.com/2012/01/point-of-contact.html, com alguns outras traduções contextuais para que o leitor tenha acesso facilitado. Também realizarei alguns comentários quando julgar pertinente, espero que aproveitem algo (os comentários seram precedidos de CT, comentário do tradutor).
PONTO DE CONTATO
Bruce Charlton identifica seis problemas para os apologistas cristãos modernos² e propõe uma solução. Suas observações são todas interessantes, mas eu quero me concentrar no primeiro e mais fundamental dos problemas que ele identifica, que é que o conhecimento metafísico e moral que mesmo os pagãos tinham no mundo antigo não pode mais ser tomado por certo:
O cristianismo é um salto muito maior da modernidade secular do que do paganismo. O cristianismo parecia a conclusão do paganismo - um ou dois passos adiante na mesma direção e construindo sobre o que já estava lá (na cosmovisão clássica, CT): as almas e sua sobrevivência além da morte, a natureza intrínseca do pecado, as atividades de poderes invisíveis e assim por diante. Com os modernos, não há nada sobre o que construir (exceto talvez memórias de infância ou realidades alternativas vislumbradas através da arte e da literatura).
Desse problema seguem-se muitos outros, continua Bruce:
O Cristianismo moderno, conforme experimentado pelos convertidos, tende a ser incompleto - precisamente porque o Cristianismo moderno não tem nada sobre o que construir. Isso significa que o Cristianismo incompleto moderno carece de poder explicativo, parece ter pouco ou nada a dizer sobre o que parecem ser os principais problemas da vida. Por exemplo, o Cristianismo moderno parece não ter nada a ver com política, direito, arte, filosofia ou ciência; habitar um reino minúsculo e cada vez menor, isolado das preocupações diárias. O cristianismo moderno frequentemente exclui milagres; pecado original; o nascimento virginal, a encarnação e a natureza dual de Cristo; A morte, ressurreição e expiação de Cristo; a Santa Trindade; anjos, demônios e guerra espiritual invisível e assim por diante - mas sem esses e outros elementos, o cristianismo não se mantém unido nem satisfaz o anseio humano.
E
O Cristianismo moderno muitas vezes parece superficial - parece confiar demais no ditame das Escrituras e da Igreja - isso porque os modernos carecem de uma base nas percepções espontâneas da Lei Natural, do animismo, do senso de poder sobrenatural ativo na vida cotidiana. O Cristianismo moderno (após a primeira onda de experiência de conversão), portanto, parece seco, abstrato, legalista, proibitivo, não envolvente, sem propósito.
Como se costuma dizer, leia tudo. Acredito que haja muita verdade no que Bruce tem a dizer. Para ter certeza, nem por um momento penso (e presumo que Bruce não pense) que o Cristianismo realmente é "superficial", "incompleto", "seco", "sem propósito", desprovido de “Poder explicativo”, com “nada para construir” por meio de um terreno comum com a modernidade secular, etc. Muito pelo contrário. Mas concordo que pode parecer assim para muitas pessoas modernas. (Parecia mais ou menos assim para mim em meus dias ateus, antes de descobrir o que o Cristianismo, e em particular o Catolicismo, realmente disse - isto é, o que seus maiores representantes realmente sustentaram historicamente, em contraste com as distorções do cristianismo, seja liberal ou fundamentalista, que o substituiu em grande parte da opinião pública.)
O problema, em parte, é de circunstâncias históricas e culturais. Veja um exemplo simples, a descrição cristã de Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Para as pessoas modernas, esse tipo de conversa pode soar insuportavelmente piegas; na verdade, às vezes acho isso insuportavelmente piegas, a menos que o contexto seja capaz de neutralizar as terríveis associações culturais que passaram a cercá-lo. Portanto, se estou ouvindo uma referência a Jesus como Senhor ou Salvador no contexto da Missa (seja a forma extraordinária ou a forma ordinária celebrada de forma digna), isso não me incomoda de forma alguma; mas se o ouço proferido por um televangelista, sinto (talvez como um Dawkins ou um Hitchens sentiriam) uma necessidade irresistível de mudar de canal.
Pense, porém, nas associações que uma palavra como “Senhor” teria para alguém no mundo antigo ou medieval - faria lembrar um imperador ou um aristocrata. Pense no que "Salvador" significaria em um contexto cultural onde antigas comunidades locais estavam sendo engolidas por impérios implacáveis ​​e aparentemente invencíveis, e onde sistemas morais rigoristas como o estoicismo e o neoplatonismo competiam pela lealdade da intelligentsia - isto é, digamos, onde as pessoas tiveram uma sensação contínua de estarem em perigo físico real e de fracasso moral pessoal contínuo. Uma descrição de Jesus de Nazaré como "Senhor" e "Salvador" teria o reverso das conotações sentimentais e efeminadas que os secularistas ouvem agora - pode trazer à mente um Constantino severo cavalgando para o resgate a cavalo, digamos, em vez de um Mister Rogers com cabelo comprido e sandálias, pronto com um sorriso e um Band Aid para nossa estupidez espiritual.
Combine a política igualitária, a moral fácil e a riqueza relativa e a estabilidade social das últimas décadas, e poucas pessoas no mundo secular moderno estão procurando por um Senhor ou Salvador no sentido que os antigos e medievais teriam entendido. Adicione a isso o fato de que "Jesus é o Senhor!" tornou-se a expressão de uma religiosidade emocional e terapêutica veiculada por meio de camisetas, adesivos de para-choque e música ruim produzidos em massa, e toda a ideia é destinada ao secularista moderno a parecer ininteligível e repulsivamente cafona. (Raspe um Novo Ateu e você frequentemente descobrirá que este é o tipo de coisa contra a qual ele está reagindo, e tudo o que ele conhece do Cristianismo.)
Então, isso é parte do problema. Mas isso pode ser remediado se os proponentes de uma forma de cristianismo muscular e intelectualmente rigorosa - ou seja, do cristianismo simpliciter, como existiu historicamente - redescobrirem sua herança ancestral. Com isso, eles redescobrirão também a herança do mundo pagão e encontrarão nela os recursos para se comunicarem com o homem moderno, na verdade com qualquer homem. Os aristotélicos e os neoplatônicos sabiam que Deus existe, sabiam que o homem não é uma criatura puramente material, sabiam que o bom e o mau são características objetivas do mundo e que a razão nos direciona a buscar o bem. Eles sabiam dessas coisas através de argumentos filosóficos que não perderam nada de sua força, argumentos que foram recolhidos e refinados por pensadores cristãos e que informaram a grande tradição escolástica.
Como o Papa Leão XIII expressou belamente em Aeterni Patris, os tesouros intelectuais dos pagãos são como os vasos de ouro e prata que os israelitas tiraram do Egito, prontos para serem empregados a serviço da verdadeira religião. Assim, a Escolástica, cujo renascimento esta encíclica promoveu, felizmente, adotou tudo o que era de valor no pensamento de gregos e romanos, judeus e árabes. Com filosofia como com arte, literatura e arquitetura, se você quiser aprender o que os maiores não-cristãos têm a oferecer, venha para a Igreja, que o absorve e protege - honrando nossa natureza divinamente dada e seus produtos, mesmo enquanto ela cria eles mais elevados pela graça. Ela lembra ao homem o que ele já sabe, ou pode saber, por meio de seus próprios poderes, antes de revelar a ele verdades que ele não poderia chegar por conta própria. Ela fala com ele em sua própria língua - a linguagem da teologia natural e da lei natural, que são, em princípio, acessíveis a todos, e não têm prazo de validade. Até os secularistas modernos conhecem essa linguagem, pois não são menos humanos do que seus ancestrais pagãos. O problema é que eles falam isso apenas no nível de escola primária ou mesmo no jardim de infância, enquanto o maior dos antigos pelo menos tinha proficiência relativa ao ensino médio. Mas, por meio da educação, eles, como os antigos pagãos, podem ser preparados para o trabalho de pós-graduação proporcionado pela revelação divina.
Esta é, obviamente, a ideia do que Tomás de Aquino chamou de praeambula fidei - os preâmbulos da fé, pelos quais a filosofia abre a porta para a revelação (onde a fé e a revelação, tenha em mente, corretamente entendidas, não são de forma alguma contrária à razão, mas um desenvolvimento - expliquei como na primeira metade de um post anterior³). Mas isso nos leva a outro problema. Como o fariseu que despreza a piedade e virtude sincera do samaritano, alguns cristãos desprezam a teologia natural e a lei natural como ímpias ou pelo menos questionáveis. Eles desprezam a natureza humana e, com ela, qualquer compreensão não-cristã de Deus e da moralidade, como algo totalmente corrupto e sem valor; ou eles estão dispostos, pelo menos verbalmente, a afirmar essa natureza, mas apenas se ela for efetivamente absorvida na ordem da graça, como o monofisista que está disposto a reconhecer a natureza humana de Cristo apenas se primeiro ela for completamente divinizada. Na primeira tendência, somente a fé e as Escrituras devem ser suficientes para trazer alguém ao Cristianismo, os preâmbulos que se danem. Sobre este último, a natureza humana é concebida de uma forma que (para tomar emprestado uma frase do Papa Pio XII) ameaça "destruir a gratuidade da ordem sobrenatural" ao elevar o natural ao sobrenatural, tratando de fato a teologia natural e a lei natural como se apenas o cristão pudesse entendê-los corretamente. Em ambos os casos, o cristianismo pode vir a parecer uma questão de mero diktat (como diz Bruce Charlton) - fideísta, inacessível e irrelevante para o mundo dos não crentes.
A primeira tendência, obviamente, está associada a Lutero e Calvino, embora seja justo reconhecer que há protestantes que resistiram a ela. Ao mesmo tempo, sua própria resistência é frequentemente resistida por seus correligionários, como é ilustrado por uma famosa disputa entre os teólogos protestantes do século 20 Emil Brunner e Karl Barth. Brunner argumentou que a teologia natural representa um "ponto de contato" entre a natureza humana e a revelação divina, pelo qual a primeira pode ser capaz de receber a última (embora mesmo Brunner qualifique sua noção de "teologia natural", para que não implique a certeza da existência de Deus apenas pela razão natural como é afirmado pelo catolicismo). Barth respondeu com raiva (em uma obra com o título conciso "Não!"), Rejeitando qualquer sugestão de que a natureza humana contribui com algo para o "encontro" entre Deus e o homem e argumentando que qualquer "ponto de contato" necessário foi ele próprio fornecido pela revelação, em vez do que a natureza humana. Isso é um pouco como dizer que a bola de bilhar A bate na bola de bilhar B ao atingir, não a superfície de B, mas uma superfície fornecida por A. Se for inteligível, isso apenas empurra o problema para trás: Como a superfície fornecida por A em si tem alguma eficácia vis-à-vis B? E como o “ponto de contato” fornecido pela própria revelação faz qualquer contato com a natureza humana?
Também é justo apontar que alguns pensadores católicos modernos têm opiniões que pelo menos flertam com a segunda tendência que descrevi acima - embora em parte sob a influência de Barth. Hans Urs von Balthasar procurou encontrar Barth no meio do caminho, rejeitando a concepção do estado natural do homem desenvolvida dentro da tradição tomista e central para a Neo-Escolástica promovida por Aeterni Patris de Leo (uma concepção que eu descrevi em um post recente sobre o pecado original). Nessa visão tradicional, o objetivo natural dos seres humanos é conhecer a Deus, mas apenas de uma forma limitada. O conhecimento íntimo e “face a face” da natureza divina que constitui a visão beatífica é algo a que não estamos destinados por natureza, mas é um dom inteiramente sobrenatural que se tornou disponível a nós somente por meio de Cristo. No lugar dessa doutrina, Balthasar colocou o ensino de seu colega proponente da Nouvelle Théologie Henri de Lubac, que sustentava que esse fim sobrenatural é algo para o qual somos ordenados pela natureza. Se é mesmo coerente afirmar que um dom sobrenatural pode ser nosso fim natural, e se o ensinamento de Lubac pode, em última análise, ser reconciliado com a doutrina católica tradicional da "gratuidade da ordem sobrenatural" reafirmada por Pio XII, há várias décadas tem sido assunto de feroz controvérsia. Mas a implicação aparente (mesmo que não intencional) da posição defendida por de Lubac e Balthasar é que não existe uma natureza humana inteligível à parte da graça e à parte da revelação cristã. E, nesse caso, é difícil ver como poderia haver uma teologia natural e uma lei natural inteligível para alguém ainda não convencido da verdade dessa revelação.
Relacionado a isso está a tendência de Etienne Gilson de tirar a ênfase do núcleo aristotélico do sistema de Tomás de Aquino e apresentá-lo como uma "filosofia cristã" distintiva. Como Ralph McInerny argumentou em Praeambula Fidei: Thomism and the God of the Philosophers, a posição de Gilson, como a de Lubac, ameaça minar a visão tradicional tomista de que a filosofia deve ser claramente distinguida da teologia e pode chegar ao conhecimento de Deus à parte da revelação. Essas visões, portanto, “involuntariamente [corroem] a noção de praeambula fidei” e “nos conduzem por caminhos que terminam em algo semelhante ao fideísmo” (p. Ix).
O livro de McInerny, junto com outras obras recentes como O Desejo Natural de Ver Deus de Lawrence Feingold de acordo com São Tomás de Aquino e Seus Intérpretes e Natura Pura de Steven A. Long, marcam uma recuperação há muito esperada dentro do pensamento católico convencional de uma compreensão da natureza e graça que já foi moeda comum, e à parte da qual a possibilidade da teologia natural e da lei natural não pode ser adequadamente compreendida. Nem, eu diria, outras questões cruciais podem ser apropriadamente entendidas à parte dele (como o pecado original, como argumento na postagem vinculada acima). A confusão entre o natural e o sobrenatural também pode estar por trás de uma tendência em alguns escritos católicos contemporâneos de enfatizar exageradamente os aspectos distintamente teológicos de algumas questões morais. Por exemplo, uma exposição da moralidade sexual tradicional que apela principalmente ao Livro do Gênesis, a analogia do amor de Cristo pela Igreja ou a relação entre as Pessoas da Trindade pode parecer mais profunda do que um apelo (digamos) ao fim natural de nossas faculdades sexuais. Mas o resultado de tal ênfase teológica desequilibrada é que para o não crente, a moralidade católica pode (novamente para usar as palavras de Bruce Charlton) falsamente "parecer confiar somente no ditame da Escritura e da Igreja" e, portanto, apelar apenas para o relativamente "minúsculo e encolhido reino” daqueles dispostos a aceitar tal afirmações. Não conseguirá explicar adequadamente àqueles que ainda não aceitam os pressupostos bíblicos da "teologia do corpo" do Papa João Paulo II ou de uma "teologia da aliança da sexualidade humana", apesar de seus méritos, exatamente como o ensino católico é racionalmente fundamentado na natureza humana, em vez do comando divino ou eclesiástico arbitrário. A graça não substitui a natureza, mas a aperfeiçoa; e um relato que enfatiza fortemente o primeiro sobre o último está fadado a parecer infundado.
O próprio falecido percebeu isso, quer todos os seus expositores o façam ou não. Em Memória e Identidade, ele diz:
Se quisermos falar racionalmente sobre o bem e o mal, devemos retornar a Santo Tomás de Aquino, ou seja, à filosofia do ser [ou seja, à metafísica tradicional]. Com o método fenomenológico, por exemplo, podemos estudar experiências de moralidade, religião, ou simplesmente o que é ser humano, e tirar delas um enriquecimento significativo de nosso conhecimento. Porém, não devemos esquecer que todas essas análises pressupõem implicitamente a realidade do Ser Absoluto e também a realidade do ser humano, ou seja, ser uma criatura. Se não partirmos dessas pressuposições “realistas”, acabamos no vácuo. (p. 12)
E no capítulo V da Fides et Ratio ele advertiu:
“Há também sinais [hoje] de um ressurgimento do fideísmo, que não reconhece a importância do conhecimento racional e do discurso filosófico para a compreensão da fé, na verdade, para a própria possibilidade de crença em Deus. Um sintoma atualmente difundido dessa tendência fideística é um “biblicismo” que tende a fazer da leitura e exegese da Sagrada Escritura o único critério de verdade
Outros modos de fideísmo latente aparecem na escassa consideração concedida à teologia especulativa, e em desdém pela filosofia clássica da qual os termos da compreensão da fé e da formulação real do dogma foram extraídos. Meu venerado Predecessor, o Papa Pio XII, advertiu contra esse descaso com a tradição filosófica e contra o abandono da terminologia tradicional.”
E o Catecismo promulgado pelo Papa João Paulo II, citando Pio XII, afirmava que:
A razão humana é, estritamente falando, verdadeiramente capaz por seu próprio poder natural e luz de alcançar um conhecimento verdadeiro e certo do único Deus pessoal, que zela e controla o mundo por sua providência, e da lei natural escrita em nossos corações pelo Criador. (par. 37)
Há uma razão pela qual o primeiro Concílio Vaticano, embora insistindo que a revelação divina nos ensina coisas que não podem ser conhecidas apenas pela razão natural, também ensinou que:
A mesma Santa Mãe Igreja sustenta e ensina que Deus, a fonte e o fim de todas as coisas, pode ser conhecido com certeza a partir da consideração das coisas criadas, pelo poder natural da razão humana.
E
Não só a fé e a razão nunca podem estar em conflito uma com a outra, mas elas se apoiam mutuamente, pois por um lado a razão justa estabeleceu os fundamentos da fé e, iluminada por sua luz, desenvolve a ciência das coisas divinas ...
E
Se alguém disser que o único, verdadeiro Deus, nosso criador e Senhor, não pode ser conhecido com certeza das coisas que foram feitas, pela luz natural da razão humana: seja anátema.
E
Se alguém disser que a revelação divina não pode se tornar crível por sinais externos e que, portanto, os homens e as mulheres devem ser movidos à fé apenas pela experiência interna ou inspiração privada de cada um: que seja anátema.
E
Se alguém disser ... que os milagres nunca podem ser conhecidos com certeza, nem a origem divina da religião cristã pode ser provada deles: que seja anátema.
O objetivo de tais anátemas não é resolver por decreto a questão de se Deus existe ou se os milagres realmente ocorreram; obviamente, um cético ficará comovido, se for o caso, apenas por receber argumentos reais para essas afirmações, não pela mera insistência de que existem tais argumentos. Os anátemas são dirigidos ao cristão subjetivista e fideísta que rejeitaria a exigência do ateu de que a fé fosse dada uma defesa objetiva e racional e que, assim, faz do Cristianismo motivo de chacota. Pregar o cristianismo aos céticos sem primeiro definir o praeambula fidei, e depois reclamar quando eles não o aceitam, é como gritar em inglês com alguém que só fala chinês e, em seguida, descartá-lo como um tolo quando ele não o entende. Em ambos os casos, embora certamente haja um tolo na foto, não é o ouvinte.
________________________
¹- Em https://www.reddit.com/ApologeticaCrista/comments/jx3m63/uma_breve_introdu%C3%A7%C3%A3o_pessoal_%C3%A0_apolog%C3%A9tica_crist%C3%A3/
²- Os pontos de Bruce Charlton quais o Prof.Edward Feser se refere, e quais não cita em seu artigo são os seguintes:
  1. A ausência de judaísmo
O Cristianismo moderno tem que passar sem os séculos de tradição judaica desenvolvendo uma compreensão da natureza de Deus, os profetas e suas profecias, a vida devocional dos Salmos etc; mas os cristãos modernos têm que descobrir tudo isso do zero e por si próprios, e muitas vezes não conseguem.
  1. Confusão
A vida moderna é hedônica, distraída - frequentemente drogada. Consequentemente, as pessoas muitas vezes não sabem ao certo a natureza da vida. Além disso, nas últimas décadas, a cultura dominante tem sido ativamente contra o Bem. A arte moderna é anti-beleza, as filosofias modernas são anti-verdade, a moralidade moderna é uma inversão do Direito Natural. A propaganda (implícita e explícita) inculca que os ideais espontâneos dos humanos (religião nativa, diferenças sexuais, família, nação, lealdade, coragem) estão errados. Em suma, os modernos estão profundamente (deliberadamente) confusos sobre questões profundas. Portanto, os apologistas cristãos modernos têm que explicar a condição humana, a natureza básica da vida; antes de explicar como o cristianismo é a resposta.
  1. Inoculação anticristã
A cultura dominante agora se inocula especificamente contra o Cristianismo e os pré-requisitos do Cristianismo. Ele fornece argumentos prontos, fundamentados no hedonismo materialista moderno, para serem usados ​​contra todas as evidências ou etapas de argumentação que possam levar ao Cristianismo, se rigorosamente seguidas. A apologética cristã não pode avançar um passo sem eliciar esses slogans, e a impaciência moderna, a distração e um curto espaço de atenção fazem o resto. Que esses argumentos materialistas hedônicos sejam circulares, incoerentes e infundados é irrelevante na prática; porque eles efetivamente bloqueiam o desenvolvimento de uma metafísica alternativa da qual sua invalidade seria aparente.
3- http://edwardfeser.blogspot.com/2011/09/modern-biology-and-original-sin-part-ii.html
submitted by BlindEyeBill724 to ApologeticaCrista [link] [comments]


2020.11.20 00:48 black_tarja Meus pais só querem psicólogos que eles conhecem

Eu tenho 21 anos, nasci, cresci e moro em um lar cristão, meus pais são psicólogos e um deles é pastor. Eu já passei por alguns traumas durante a vida: bullying na infância por toda a escola, molestado por volta dos 12 anos e relacionamentos (não amorosos) complicados. Coisas normais que se podem encontrar
A muito tempo já não me identifico com a religião cristã. Acredito em Deus, mas não tenho pensamentos e opiniões que coincidem com essa instituição. Não quero tacar fogo nela e falar que é o mal do mundo, apenas não me sinto eu nela.
Passando por alguns eventos do ensino médio, fui percebendo que talvez possuo problemas psicológicos não resolvidos, como ansiedade e depressão, mas nunca procurei ajuda profissional. Eu apenas fazia testes inúmeras vezes em vários anos e os resultados eram semelhantes.
Alguns acontecimentos aqui em casa culminaram em eu contar que talvez sofra desses transtornos para os meus pais, e ficamos de procurar um profissional. Porém um tempo se passou e nada.
Nesse meio tempo, encorajado por amigos dizendo que meus pais entenderiam e que eles me amam independente de tudo, resolvi contar sobre meu posicionamento religioso.
O resultado foi exatamente o que eu esperava, e diferente do que me disseram.
Meu pai ficou dias sem falar comigo direito, apenas com uma cara de choro. Minha mãe foi completamente dura, dizendo um discurso que desse a entender que minhas decisões pessoais não eram tão pessoais, porque eu teria que levar em conta o meio, uma hora chegou pra cima de mim dizendo "então a gente sai da igreja. Todo mundo junto! Seu pai deixa de ser pastor, a gente vai trabalhar em outro lugar, pode ser???". Parece loucura o fato de religião ser algo pessoal né?
Com esse resultado, eu simplesmente voltei a ser do jeito que sempre fui: nunca contei muito sobre mim pra eles, pois sempre senti que sempre que eu digo algo sobre mim tudo só piora. Eu cresci na igreja e me envolvi em alguns serviços dela, então só fingi que eu nunca disse pra meus pais sobre minha vontade de sair da igreja e continuei neles quieto.
Recentemente "procuramos" um psicólogo. Tenho ido nele já tem umas 8 sessões. Porém eles escolheram apenas um dentre os quais eles conheciam e de preferência um que fosse pastor. Esse psicólogo fez seminário junto com meu pai.
Ele não é ruim, mas eu não me sinto nem um pouco confortável para falar sobre mim para ele, sempre há uma máscara cristã-social que preciso me esconder para que mantenha uma normalidade. Recentemente estou passando por um término de relacionamento muito complicado, ela é o amor da minha vida e ela demonstra que eu sou o dela, e esse término tem acontecido ao mesmo tempo que essas sessões. Me lembro que ao falar sobre ela pro psicólogo, uma das primeiras perguntas que ele fez foi "já levou ela pra sua igreja?".
Estou tentando arranjar todas as desculpas possíveis pra poder parar de ir nele, mas eu sei que se eu for procurar de novo, meus pais agirão novamente como filtro. Se eu reclamar sobre o filtro, será algo que eu digo sobre mim, e como disse antes, as coisas sempre ficam piores.
Eu só queria que um dia todo mundo pudesse ser assumidamente diferente e sentar todos na mesma mesa e nada disso interferir no amor que tem um pelo outro, mas demonstraram que isso seria impossível se a religião de todos não for a mesma. Acho melhor carregar essa ansiedade e depressão quieto dentro de mim até terminar a faculdade e ganhar meu próprio dinheiro pra ir atrás do psicólogo sem passar por esse filtro e sair dessa casa.
Desculpa se estou fazendo tempestade em copo d'água, é que as vezes é foda. Obrigado por ter lido esse texto porcamente escrito até aqui
submitted by black_tarja to desabafos [link] [comments]


2020.11.18 05:13 _mirrorball_ Ultimately

Ultimately it seems that everyone have found love.
Ultimately it seems that flower shops have multiplied with so many bouquets that I see around.
Ultimately it seems that chocolate factories profited twice as much as last year.
Ultimately it seems that all jewelry shops ran out of rings.
Ultimately it seems that the ceremonial has no vacancy for the next five years.
Ultimately it seems that all couples made one year anniversary and I didn’t even realize.
Ultimately your image burns even more inside here.
Ultimately everything your seems mine.
Ultimately even the size of your hand seems to have been made for the size of my breast.
Ultimately even the sound of your voice seems to have been made for my ears.
Ultimately your eyes seems to have been made to find mine.
Ultimately me and you
seem to be
made
for
each other.
—————-
I tried my best to translate this from portuguese. Here’s the original version:
Ultimamente parece que todo mundo encontrou o amor.
Ultimamente parece que as floriculturas se multiplicaram pela cidade de tantos buquês que eu vejo por ai.
Ultimamente as fábricas de chocolate parecem tem lucrado o dobro do que no ano passado.
Ultimamente parece que os anéis da joalherias se esgotaram.
Ultimamente parece que o cerimonialista não tem espaço na agenda até janeiro de 2021.
Ultimamente parece que todos os casais fizeram um ano de namoro e eu nem percebi.
Ultimamente sua imagem queima ainda mais aqui dentro.
Ultimamente tudo teu parece meu, quantidade de filhos, cor favorita, pensamentos escondidos.
Ultimamente até o tamanho da tua mão parece ter sido feito pro tamanho do meu seio.
Ultimamente até o som da tua voz parece ter sido feito pro meu ouvido.
Ultimamente teus olhos parecem ter sido feitos pra encontrar os meus.
Ultimamente eu e tu parecemos
feitos
um
pro
outro.
Feedback posts:
1
2
submitted by _mirrorball_ to OCPoetry [link] [comments]


2020.11.11 20:48 sorrymybaby Sentimento estranho

Tenho me sentido em um filme preto e branco, alma aflita, sensação de vazio gigantesca, medo de tudo, olhar as pessoas na rua e ver cada um seguindo sua vida me trás uma sensação estranha, a troca de olhares com as pessoas, a falta de amor em geral...SEI LÁ. Esse sentimento está me destruindo, eu amava a solidão mas agora ela me assusta, eu choro atoa só pelo fato de existir, a correria da vida me assusta e eu tenho me entorpecido pra lidar com tudo isso, e só piora. Não consigo encontrar o meu propósito, já faz muito tempo que não me sinto vivo de fato. Trabalhar, pagar contas e não sobrar praticamente nada pra quem sabe investir em algo revolucionário, sei lá. Nem desabafar tira esse peso na minha alma, ontem chamei um amigo pra vir aqui em casa pra conversar e eu me desmontei de chorar na frente dele sem motivo concreto, não sei explicar bem como isso acontece, é tudo tão triste na minha alma...eu perdi pra mim mesmo.
submitted by sorrymybaby to desabafos [link] [comments]


2020.11.09 05:24 carol-pipiu Minha cachorrinha morreu durante a quarentena

Quando eu tinha 8 anos, eu ganhei de meus pais uma poodle linda chamada Mel e desde então ela se tornou minha grande companheira, irmã, filha (sensação indescritível de completude) eu simplesmente nunca me sentia sozinha porque eu tinha ela comigo sempre. O tempo foi passando e com certa idade eu entendi que a vida dos cachorrinhos é mais curta e que a perspectiva de mel era de uns 12 a 16 anos. Fiquei triste com a notícia mas o que eu poderia fazer? Não tem como controlar o fluxo natural da vida né? Mas tudo bem, ela ainda era tão bebezinha que eu deixei isso pra lá. O tempo foi passando e quando Mel fez 11 anos ela mostrou o primeiro sinal da idade: demonstrou dificuldade de andar em virtude de dores na coluna. Fizemos todo o tratamento certinho e graças a Deus ela ficou bem. Sempre foi muito mimada e tratada como uma filha na minha casa, qualquer problema que ela tinha, agíamos com prontidão pra socorrer, talvez por isso ela tenha tido uma vida 'longa'. Com 14 anos, ela foi diagnosticada com câncer de mama, eu fiquei apavorada, achei que era o fim, não soube como proceder, chorei tanto.. Ela fez uma série de exames e por sorte ainda dava pra operar e remover o cisto. Devidamente operada, ela foi pra casa onde viveu bem e com muitos mimos até os 16, que foi quando apareceu um nódulo na região equivalente à axila. Levamos ela ao veterinário, que constatou que não se tratava de câncer e sim de uma inflamação. A bichinha se submeteu a punção e remédios fortíssimos, principalmente o antibiótico. Por conta disso, ela não aguentou e faleceu. Foi muito duro pra mim ver a cena dela partindo, eu ja tinha pensado nisso tantas vezes ao longo da minha vida, mas quando acontece de verdade é muito pior, pq não tem mais jeito. Eu ficava me perguntando como seria levá-la pelo elevador ate o carro: e se entrasse alguém e me perguntasse o que ela tinha? Eram tantas perguntas que eu me fazia antes "será que vai ser de manhã ou de noite?" "será que eu vou chorar?" "será que eu vou superar rápido?" mas na hora nada disso me importou, eu só quis deitar la no chão com ela, me despedir, orar, entregar a alma dela a deus, agradecer pela melhor companhia da vida e decidir entre enterro ou cremação. Escolhi cremar pra colocar as cinzas em algum lugar que eu e minha família gostamos muito: uma plantinha da casa da família, assim vou sentir que ela sempre vai estar conosco. Já se passaram 5 meses e 2 dias desde que aconteceu o fato e eu ainda sinto tanta saudade dela, fico me perguntando como a vida pode juntar duas pessoas de forma tão incrível e perfeita e simplesmente separar como se isso não fosse nada. Eu torço de verdade, com todo meu coração, para que exista um além onde eu possa encontrar ela de novo em um futuro distante. Eu sou uma completa fã daquela cachorrinha fofa. Eu espero que todo o amor que eu tenha dado pra ela tenha sido o suficiente, espero ter dado uma vida boa e confortável pra ela. ♡︎
submitted by carol-pipiu to desabafos [link] [comments]


2020.11.09 05:15 Entre_estrelas Nas entranhas dos Relacionamentos líquidos

Olá pessoas,
me chamo entre estrelas e contarei a incrível jornada de um match no tinder com um plot twist não tão digno de uma produção Hollywoodiana.
Como um bom turista que vem a São Paulo e um querido usuário do nosso tão velho amigo Tinder,
Logo comecei a desviar para direita algumas dezenas de pessoas em meio ao mar de oportunidades.
Com certa sorte encontrei uma pessoa que se mostrou incrível,
Porém nem tudo são flores camaradas, justo no dia em que eu dei o match tive que voltar para minha casa nas estrelas.
Mas para alegria e vitalidade de um amor líquido, continuamos conversando durante a semana afim de se encontrar quando eu voltasse a aparecer no céu de São Paulo.
Durante esse tempinho de espera, compartilhamos alguns momentos de lazer; filmes, jogos e conversa fiada.
Chegado o grande dia, enfim nos encontramos em uma quarta-feira de um dia frio, desfrutando de um pequeno passeio em um Shopping com destino marcado para o KFC(minha primeira vez comendo aquele baldão gorduroso, que delícia).
Sem muita enrolação, começamos a comer aquela delícia de frango e desenrolamos conversas aleatórias, a resposta da vida, do universo e tudo mais, chegando a conclusão que era realmente 42.
Depois, de barriga cheia, estava na hora de acompanhar a bela dama para sua casa, que conhecidentemente morava perto da casa de um parente,
Chegado no fim do role, marcamos de nos encontrariamos em um domingo ensolarado que ocorreria em alguns dias,
Neste momento já pensava esta indo tudo bem, mas como belo entendedor da Lei de Murphy, sabia que algo perigoso estava vindo.
JUSTAMENTE no sábado, UM DIA ANTES do nosso encontro, a bela dama me bloqueia de todos os meios de comunicação possíveis sem a mínima razão ou explicação aparente,
me pego pensando será que foi o perfume que usei? Ou talvez o silêncio de alguns segundos?
Mas por que? Dou o benefício da dúvida para jovem dama, partindo do pressuposto que ela poderia ter sido roubada, ou qualquer outro fenômeno natural, artificial ou sobrenatural acontecido com ela, afinal Lei de Murphy camaradas.
Talvez o pequeno príncipe estivesse errado, não nos tornamos eternamente responsável por aquilo que cativamos, essa foi a conclusão que cheguei em domingo ensolarado em frente a estação Mackenzie onde levava apenas o primeiro bolo de três andares da minha vida, acompanhado de uma única reflexão latente em minha cabeça,
"Seres humanos são decepcionantes e patéticos"
E com isto me despeço humildemente de você caro leitor, meu Expresso Noturno já está quase partindo,
deixo apenas essa história baseada em fatos reais, como marca de minha estadia aqui na terra.
submitted by Entre_estrelas to dating [link] [comments]


2020.11.08 03:15 Vyktu Esse drink...

qualquer um na minha situação diria que a vida é uma merda ou não sla mas eu n acho bem isso, pera... deixa eu começar no inicio. com 4 anos eu cheguei em um condominio, a qualidade não é la das boas, diria que é mediano, então, logo quando cheguei eu ja tinha conhecido dezenas de pessoas e.. aquilo tudo tava sendo especial e tlz, então lá se formou meu grupo de amigos eram muitos, mas era perfeito, era muito divertido, eu ficava quase 15 hrs seguidas brincando só ia pra casa p comer e dormir vamos dizer que eu era um copo, e tava transbordando de um drink, que levava muita alegria e diversão, pra falar a verdade não posso falar que era tudo perfeito, mas era muito bom então.. continuando esse drink era consumido dia após dia, o pior que era verdade a cada ano parecia que tudo ia ficando menos alegre e divertido mas ainda era, até que chegou o fim do copo, acho que... só sobrou algumas gotas e.. eu não sei o que fazer, não tenho algo que me divirta, e não sinto muita alegria em coisas que sentia antes, vamos dizer que... embora eu procure coisas para me alegrar eu não acho, raramente acho mas ... as gotas estão sendo consumidas e.. está tudo ficando sem sentido sem graça, pessoas que eu conheço parecem idiotas, não me encaixo na conversa das pessoas em minha idade, eu me sinto cada vez mais estranho e... como todo garoto ou garota sempre tem seu primeiro amor eu tb tive e foi um desastre não quero entrar em detalhes mas... foi trágico, ela derrubou o meu copo por sorte consegui levanta-lo a tempo, esquece-la e cuidar do resto que sobrou, claro agora só sobram gotas e eu não sei o que fazer quando acabar, será que eu vou encontrar uma coisa que eu goste de fazer e então dedicar minha vida a ela e então ganhar refil desse drink ou... eu vou encontrar outra pessoa que compartilhe desse drink comigo? eu realmente não sei do que vou atras, só sei que... eu não sinto muita alegria mais, só sinto falta do meu passado, era perfeito pra mim e desculpa ai, acabei me empolgando e desculpa pela metafora meio boba tbm, tchau e uma boa noite
submitted by Vyktu to desabafos [link] [comments]


2020.11.07 06:03 Affectionate-Mind-70 Diva aos 50

Diva aos 50🌞🌟🌞💛💜💙💚💚💛💜🤎🖤🧡💖 MEU AMOR SOU MUITO GRATA POR VOCE EXISTIR E ESTA AQUI ,QUE O PAI CELESTIAL E JESUS CRISTO DERRAMA BENÇOES SEM MEDIDAS DE SAÚDE, MENTAL ESPIRITUAL E FISICA E MUITA PAZ ,FELICIDADE, ALEGRIA, AMOR, PROSPERIDADE , SUCESSO E VITORIA EM TODOS OS CETOR DE SUA VIDA E NA VIDA DA SUA FAMILIA TAMBÉM .OBRIGADA BOA SORTE BEIJOS - Diva aos 50 .MEU AMOR INSITIR E PERSISTIR SEMPRE, E MUNCA DESISTIR E VOCE CONSEGUIRA O QUE TANTO DESEJA Que seu dia seja repleto de alegria e sucesso .Para iniciar o dia com o pé direito, comece por fazer uma limpeza espiritual, eliminando tudo o que não lhe agrega felicidades amor. Todos os sentimentos ruins devem sair de sua vida para os bons chegarem e ,o ontem não volta mais, Mais faça o melhor hoje assim, a paz o amor e otimismo e a certeza da vitória volta novamente habitar em seu coração. meu amor . 💜.Se você sente que tem algo atrasando a sua vida não pense duas vezes em deixá-lo pra trás. Quando a bagagem está muito pesada, o caminho parece mais longo. Livre-se de tudo aquilo que não te serve mais, sem medo. E .Amanhã, quando o sol🌞 bater na sua janela, não pense levanta da cama. Encare a vida de frente, respire fundo e busque pela sua felicidade. Só você pode fazer isso por você....Você pode conseguir tudo o que deseja ..viva a vida com quem te faz feliz, e não com quem você tem que agradar para te fazer feliz .Você e incrível o suficiente e uma pessoa inteligente corajosa e poderosa ,deixa a luz 🌟esta dentro de você em radiar por todo seu ser corpo ,não dependa de outros para ser feliz ,tudo que você precisa esta dentro de você, você merece ser espeitado você e tão importante quanto qualquer outra pessoa ,você e capaz de enfrentar qualquer obstáculo e supera r. Eliminando pensamento negativas. Pois o sol 🌞esta brilhando para você, Um novo dia vai nascer para você. Olha para o horizonte veja quanta beleza que foi criada especialmente para você, contemple, e assim você criara força para prosseguir seu caminho que com certeza terá êxito e a vitória e garantida .Olha somente para frente de hoje em diante, sem desprezar aquele que de alguma forma já te ajudo em algum dia nessa vida, e assim você chegara ao topo do sucesso em vários setor de sua vida A Partir de agora se cuide, ame você mais do que tudo sua felicidade em primeiro lugar em segundo lugar em terceiro lugar. COMECE HOJE OLHANDO PARA VOCÊ, VOCÊ MERECE, VOCÊ DEVE DAR O PRIMEIRO PASSO HOJE VOCÊ E MUITO MUITO IMPORTANTE E ÚNICA SE AME MAIS .....Durma bem! Ter boas noites de sono pode induzir o nosso organismo a produzir a leptina, que nada mais é que o hormônio responsável por controlar a sensação de saciedade e, portanto, nos fazer comer menos durante o dia......Você também precisa liberar o hormônio da felicidade que além de ajuda a emagrecer traz felicidade animo e disposição para fazer tudo, e evita que você fica triste e entrar em depressão. Tudo que você precisa fazer e uma caminhada por 1 hora ou dançar uma musica por 1 hora todos os dias .. ,O que seu corpo precisa fazer para libera este hormônio da felicidade. E muito simples, tudo que você precisa fazer e uma bela caminhada ou dançar por 1 hora, este hormônio esta dentro de você, só assim que você liberado ele, dançado ou caminhada. ,Para ser feliz precisa balançar caminhar ou correndo, como uma criança faz o dia inteiro. Você sabia que quando você dançar e caminhar por uma hora todo os dia você pode emagrece ate 20 kilos em 30 dias brincando, e fazendo as todas as receita que tem aqui no canal . VOCÊ PODE EMARECER DE 50 KGS ATE 100 KGS EM MENOS DE 1 ANO , EU TENHO CERTEZA DISSO.💜💙💚 VOCÊ PRECISA COMEÇAR AGORA 💜.Bebendo , pelo menos, 2 litros de água por dia Evite frituras e alimentos industrializados ou muito gordurosos; Evite embutidos e açúcar ,refrigerante e sucos artificias Aposte em saladas para enganar o estômago e comer menos durante as refeições. Neste caso, a dica é incluir no cardápio legumes e verduras que você goste, mas que não sejam muito calóricos; Evite a ingestão de muito sal ou alimentos ricos em sódio, ou açúcar pois estes são os principais responsáveis pela retenção líquida;------------🌞🌞🌞O açúcar e o grande responsável por alimentar as células com desenvolvimento para câncer e obesidade quando elimina o açúcar da sua alimentação, as células do câncer e as e as células gordurosas em excesso, morre de fome ,O AÇÚCAR E O ÚNICO ALIMENTO QUE FAZ O CÂNCER E A GORDURA SE MULTIPLICAR RAPIDAMENTE 🌞🌞🌞 Prefira sempre os alimentos integrais, que são excelentes fontes de fibras e nutrientes; Prepare os alimentos de formas menos calóricas possíveis, optando por comê-los assados, e cozidos no vapor. Evite consumi-los fritos ou frituras gratinados, à milanesa ou à parmegiana;.......Meu amor, as receitas que você vai encontrar aqui nesse canal.💜 diva aos 50 💜o segredo para Elimina Obesidade emagrecer rápido, seca gordura da barriga Abdômen regula colesterol. Vai te ajudar, se você esta com o intestino preso, ou que queimar gordura da barriga e abdômen, e emagrecer rápido, ou melhor emagrecer de vez< ,secando toda gordura da barriga. Como queimar toda gordura do corpo, derreter toda gordura fígado ESSE SHAKE E MAIS FRACO E PODE TOMAR ATE 3 VEZES AO DIA ANTES DAS REFEIÇOES E SUBESTITUIR O JANTAR.. APERTA ESSE LINK QUE VOCE VAI TE AJUDAR https://youtu.be/_JtWAjOlaT0 APERTE NESSE LINK https://youtu.be/_JtWAjOlaT0Eliminar 20 kilos de Fezes acaba com Estômago Alto e Barriga Grande em 1 Dia. Diva aos 50, 💛💚💙💜🤎🖤🤍💖💖🚀🚀🚀🚀🚀MEU AMOR ESSE E PODEROSO VOCÊ QUER UM RESULTADO MAIS RÁPIDO AINDA EM 1 HORA OU QUAS EXTANTANIAMENTE ESSE E FORTE E PODEROSO APERTA NESSE LINK https://youtu.be/sHjFN7pVCSs , E ASSISTE O VÍDEO TODO SEM PULAR https://youtu.be/eWrQ262RV7k 💙 ....https://youtu.be/sHjFN7pVCSs ..ELIMINA 20 kGS de FEZES em 1 HORA. ELIMINA 20 kgs em 1 HORA. SECA ESTÔMAGO ALTO BARRIGA GRANDE EM 1 💜 aperta nesse link https://youtu.be/FJenxm5LtT0Perca 30 kilos em 30 Dias. Eliminando Estômago alto Barriga e Grande com Shake de limão. Shake Limão 💚 https://youtu.be/uRevwL6ZP98Elimine Estômago alto barriga grande em 1 hora, tira os gases, e inchaço e gorduras - diva aos 50 UMA FORMA DE ACABAR COM A BARRIGA CAÍDA E A FLACIDEZ https://youtu.be/gc4zNeue1ak.........Bexiga caída ,bexiga baixa Levanta em 1 semana,, Cura incontinência urinária - BARRIGA CAÍDA ACABA..com a barriga caída ..https://youtu.be/9jv_dpiZnbI...OUTRO MKUITO BOM E ESSE ,Perca 30 kilos em 30 Dias. Eliminando Estômago alto Barriga e Grande com Shake de limão. Shake Limão, aperta nesse link https://youtu.be/FJenxm5LtT0 Shake de limão pode ser feito com qualquer limão Tomar 30 minutos antes das principais refeições, café da manhã, almoço e jantar. Sendo que o melhor sempre ingerir um pouco antes das principais refeições. Desta forma, as propriedades vai diminuem a absorção da gordura do estomago e barriga ,abdome ,gordura visceral, seca barriga ,elimina toda gordura do corpo ,proporcionando um emagrecimento rápido controlando o colesterol ruim UMA FORMULA DE QUEIMAR TODO GORDURA DA BARRIGA E ABDÔMEN FÍGADO ARTÉRIAS E SANGUE - DIVA AOS 50 Elimina Todas as Gorduras. Do Abdômen .Do Estomago Alto. Do Bucho Grande .Do Intestino. Do Fígado. Do Sangue E Peca 1 Kilo Por Dia- Diva aos 50 aperta nesse link https://youtu.be/eWrQ262RV7koutra maravilhosa UMA FORMULA DE EMARECER ATE 50 KGS NATURALMENTE, QUEIMA TODA GORDURA VISCERAL. e BARRIGA. ABDÔMEN .aperta nesse link https://youtu.be/axP0nUoPsbEEliminar 20 kilos de Fezes acaba com Estômago Alto e Barriga Grande em 1 Dia. Diva aos 50, dieta aperta nesse link https://youtu.be/_JtWAjOlaT0💛Uma fórmula de evitar rugas profundas Após os 50 e 60 anos ,creme Para pele madura ressecada cansada https://youtu.be/mlAPV5Y_540 💛 OUTRO MUITO BOM E ESSE, Eliminar 20 kilos de Fezes acaba com Estômago Alto e Barriga Grande em 1 Dia. Diva aos 50, dieta https://youtu.be/_JtWAjOlaT0Mostrar menos3RESPONDER
submitted by Affectionate-Mind-70 to copypasta [link] [comments]


2020.11.05 05:17 Afternoon_Upbeat Eu fui embora da vida da única mulher que já amei.

To usando uma conta throwaway porque sim, slá.
Esse vai ser longo ;D
Eu conheci essa moça (vou chamar ela de X) aos 12 anos de idade e de cara começamos a nós dar bem, fomos da mesma sala por vários anos consecutivos, acabei que me apaixonei por ela de uma forma bem inocente, eu gostava de ver ela sorrir, rir. Enfim, por volta dos 14 anos eu falei com ela sobre isso, que eu realmente gostava dela e tal....bem no dia depois dela começar a namorar outro maluco, sem problemas, é a porra da vida eu acho? ao longo dos anos ela brigou bastante com ele por minha causa, me sentia mal por isso e tal, mas não me importava muito, afinal, ficar perto dela pra mim era o suficiente.
Ao longo dos anos eu continuei completamente apaixonado por ela, ela me contava tudo da vida dela, fui até o primeiro que ela contou sobre perder a virgindade aos 15 praquele mesmo cara, machucou um pouco...mas fazer oque? nesse ano que ela me contou isso o cara deu um ultimato nela, era basicamente; "Eu ou ele". Ela escolheu ele, entendível, afinal de contas era namoradinho dela. eu tinha 16 ela 15. Antes disso eu andava de mão dada por ai com ela e tal, nunca nem tinha ficado com outra pessoa de tanto que eu era imbecilmente apaixonado por ela, passamos um ano só falando "oi" um pro outro no máximo.
Eles terminaram eu tinha 17 e ela 16, voltamos rapidamente pra rotina antiga, acabei ouvindo amigos meus sobre ficar com outras pessoas pra esquecer, cedi, fiquei com as minas mais parecidas com ela que tinham, todo mundo achava estranho, mas sei lá, meio que só sentia atração assim? O lado bom disso é que passou a vontade louca de ficar com a "X", comecei a ficar com gente aleatória, foda é que veio lado ruim logo depois, cai em depressão, saí do colégio, entrei na faculdade, comecei a me drogar pra esquecer essa mulher e não dava, eu sempre esquecia ela e logo depois voltava com tudo o sentimento, pelo menos, "nunca" na minha vida sofri rejeição, as pessoas falam que sou um cara atraente, nunca vi isso principalmente porque já fui rejeitado por ela.
Aos 19 anos nossa amizade escalou pra caralho, começamos a fazer muitas coisas só nos dois, bebíamos juntos, acampamos juntos, ela dormia abraçada comigo na minha cama(????????) (Nota pro leitor: nunca nem fiquei com ela.) chegou num ponto que eu acordei e ela dormia em cima de mim e eu pensei comigo mesmo; "essa é a vida que eu quero pra mim? Não ter a única que me importo?"
Comecei a namorar pela primeira vez depois dessa realização, isso no mesmo ano, terminei com minha namorada depois de dois anos, foi um relacionamento que me fez entender muito sobre a vida, foi horrível, nunca fui tão maltratado por uma pessoa como por minha ex-namorada , chegou até um ponto que ela falou que só ficava comigo pela minha aparência, de qualquer forma, terminei com ela, não culpo ela, levei esse relacionamento como um aprendizado sobre a vida. O lado bom é que, durante esses dois anos, eu fui completamente proibido pela minha namorada na época de ver a "X", dois anos sem nem ver ela direito. Quando eu terminei, na mesma semana falei com a "X" e fui encontrar ela.
Ela tem depressão severa, enche o vazio dentro dela com drogas e sexo randômico, assim como eu anos atrás, eu encontrei com ela varias vezes, até que ela me pediu perdão por tudo, era exagerada nossa amizade e que sempre que eu ia embora da vida dela, que foram varias vezes, ela esperava eu voltar. Isso me quebrou, mas acabei entendendo que a decisão correta seria ir embora, ela me ama, mas não como eu gostaria, e eu não queria ficar nesse joguinho. Ainda mais porque eu já estava começando a cair por ela de novo
Marquei com ela pra conversar sobre isso, sem ela saber, obviamente (eu sou um animal).
Expliquei tudo, cheguei lá por volta das 19. só fui embora as 2 da manhã, na primeira hora ela negou eu ir embora de novo e que mentiria pra mim sobre o estado mental dela e que ela ia omitir ela ficando com outras pessoas e tal, neguei, não queria isso, queria ela, não uma vida perto dela. Ao longo da conversa ela compreendeu e disse que apoiava eu ir embora, ela me acompanhou até meu carro e me abraçou, ficamos quase duas horas só fazendo carinho um no outro, até que ela me perguntou se seria tudo bem ela me beijar já que era nossa ultima vez juntos, EU NÃO SABIA OQUE DIZER, eu só fiquei olhando pro vento por uns bons 10/20 segundos, ela falou que era besteira, acabei aceitando o beijo, ela me deu só um selinho besta e começou a ir embora....puxei ela e começamos a ficar de verdade, passou algum tempo ela me empurrou e foi embora olhando pra mim e sorrindo.
Ao longo dessa conversa que tivemos ela ficou visivelmente triste e sem duvidas ela notou que eu também fiquei, ela me disse que chorou muito quando fui embora na época que namorei....agora só posso imaginar oque ela sente sobre mim, nunca achei que ia ficar com ela ou algo do tipo, só aconteceu.
Nota: eu tratei minha depressão ao longo dos anos. Assim como sempre tentei estar lá pra ela durante a depressão dela, até mesmo durante meu relacionamento.
Agora eu estou mais triste do que já estive em toda minha vida, comecei a me focar mais em mim, fazendo dieta, malhando, estudando pra faculdade, mas eu não consigo tirar ela da cabeça, tenho 21 anos e faz uma semana que fui embora da vida dela, meu corpo parece se negar esquecer ela, sonho com ela quase toda noite, não consigo falar com nenhuma outra mulher, não consigo nem me masturbar porque acabo chorando ao ver pornografia(???????????).
Compreendo o argumento de "ah tem mais muié por ai", porém, com todo o respeito, vá te fudé rapá, eu sei muito bem disso, o foda é que ela é a minha melhor amiga, foi por anos, me sentia mais aberto com ela do que com qualquer outra pessoa, eu podia falar qualquer coisa com ela e vice-versa, era tudo que sempre quis, toda idealização de amor que já tive na vida veio dela.
Eu só não sei oque fazer sem ela, sem nunca mais nem dar um oi, um abraço...eu conheço ela mais do que qualquer outra pessoa e só não sei oque fazer...
submitted by Afternoon_Upbeat to desabafos [link] [comments]


2020.11.01 08:32 brunomhterra Como lidar com um pós término

Pois bem, no dia 7/10/2020 fui pego de surpresa com uma péssima notícia: minha namorada resolveu terminar comigo.
A gente namorava há quase 10 meses, mas a gente se tratava como um casal por 2 anos, a gente demorou tanto pra tentarmos um namoro por causa da barreira da distância (eu no RJ e ela em SC).
No final de setembro eu fui até ela, pra enfim ficarmos juntos. Foram dias ótimos, saímos, curtimos bastante, transamos muito, vimos bastantes filmes e comemos bastante besteira. Parecia estar tudo bem, e pra ser franco, eu queria ter passado bem mais que 2 semanas ao lado dela.
Quando eu cheguei no RJ, depois de de todos esses dias com ela, parecia correr tudo muito bem, até que no fim da noite ela me pegou de surpresa. Mandou um textinho dizendo que iria terminar comigo. O motivo? Ela disse que não me amava mais.
Isso foi (e ainda é) um choque pra mim. Eu não esperava, pois parecia correr tudo muito bem. Eu fui um bom namorado, ela parecia bem satisfeita com o nosso namoro, sempre elogiava meu companheirismo, apreciava minhas virtudes, meus posicionamentos, e todos ao redor viam a gente como um belo casal.
Ela é a pessoa que eu mais amei na minha vida, e quando li aquilo, dizendo que ela não me amava mais, foi como se um pedaço de mim tivesse morrido junto com o amor que ela tinha por mim.
Eu quis buscar respostas, dizer o que aconteceu, se foi algo que eu fiz, e fui bem insistente nos dias seguintes, até pq, eu não queria perder a garota dos meus sonhos fácil assim, precisava lutar. Ela nunca deu uma resposta muito elaborada, mas uma coisa que ela dizia muito era que ela sentia falta dos seus tempos de solteira, onde era mais feliz. É claro que não é tão simples, mas o fato dela simplesmente não me amar mais me deixava angustiado. Até hoje perco o sono por conta disso tudo.
Um pouco depois do término eu segui um conselho de um amigo de tentar partir pra outra, e eu fui, mas não adiantava, não era minha loirinha. Eu voltei pra casa mega frustrado depois que fui encontrar essa menina nova, nem consegui chegar perto dela. As memórias, os tempos que vivemos juntos, as noites que passamos só conversando as maiores besteiras do mundo....eu queria viver isso de novo, mas não com qualquer uma, eu quero viver isso com ela!
Eu confesso também que até hoje eu tento faze-la mudar de idéia, converso sobre o assunto, mas toda tentativa acaba gerando um grande fracasso, mas eu não quero desistir dela. Foi com ela que vivi os melhores dias da minha vida!
E não é só isso, queria muito que fosse só o término do namoro que me atrapalhasse nessa coisa toda.
Eu venho tratando minha depressão, diagnosticada no fim de outubro de 2018. Vivi altos e baixos, e com essa situação as coisas acabaram piorando bastante, pois todos os meus planos que eu tinha com ela se transformaram em um grande vazio, um quadro em branco que eu não faço idéia de como preencher. Nessa semana eu recebi uma oferta de emprego na mesma área que eu atuo hoje em dia, mas com um salário 3x maior que eu recebo. Meu pai (que é meu patrão) disse pra eu ir fundo, que eu poderia me dar bem... Foi um fracasso completo, fiquei uns 10 minutos dentro do banheiro daquele lugar, só chorando e vomitando. Eu não tava mentalmente preparado pra uma mudança tão grande, pra uma responsabilidade tão enorme. Sequer terminei o "dia de trabalho", fui pra casa e chorei até cair no sono. Desde o término perdi 8kg, eu sempre fui magrinho, pesava cerca de 70kg, mas hoje me pesei e deu 62kg. Eu não como bem, não me cuido bem. Não só o término, mas é como se perdesse uma parte grande da minha vida, eu não sei quem eu sou e como posso me recuperar dessa perda grande.
Enfim, eu ainda tento convencê-la a voltar, mas talvez eu nunca consiga. E mesmo se ela voltasse hoje, há uma ferida enorme que isso tudo gerou e não sei se dou conta de sarar. Eu tô completamente perdido no que vai ser de mim daqui pra frente.
Eu só quero ser feliz como um dia já fui ao lado dela....
submitted by brunomhterra to desabafos [link] [comments]


2020.10.29 10:18 nofimnaime Palavras Somente.

Eu não aguento mais conversar comigo mesmo, e como não tenho mais pessoas para isso, essa é a melhor solução. Minha vida só desanda, e desde 2017 eu não consigo segurar as pontas, tive perdas que até hoje me doem, e escolhas nas quais eu me arrependo toda a noite antes de dormir. Consegui afastar esses pesos algumas vezes durante esse tempo, mas ele volta com mais carga, cargas atuais, e isso sempre vem a calhar na semana do meu aniversário. Mas esse peso não é a dor que quase me fez ser atropelado no meu aniversário ou a entrar em pânico na frente de um mercado. Uns meses atrás conheci uma pessoa, e eu naquele momento só queria sair com alguém, aproveitar uma nova amizade e ter aquele lance casual, era só isso, eu estava no meu canto escuro do quarto, já acostumado com esse peso no meu peito, e não queria mais dor de cabeça. E infelizmente eu conheci ela, eu não dava nada pra aquela desgraçada, as mensagens trocadas porém, me fez sentir algo por ela, aquele tipo de sensação "Ok, quero ser seu amigo", e desse jeito eu descobri que ela também não estava bem, tinha acabado de sair de um relacionamento complicado de 5 anos (3 anos de namoro, mas já sofria por 5 anos), e eu botei aquilo na minha cabeça, só queria ter uma pessoa pra conversar, conviver e aproveitar tudo que dava, e depois de uma longa espera de dois dias de conversa, resolvemos se encontrar, morávamos perto do outro, na qual no meio do caminho tinha um parque, perfeito meio termo para ambos, e quando eu vi ela, tudo que eu tinha montado sobre ela mudou. Aquele mesmo sentimento que você olha e admira aquela pessoa no trem, acha tudo incrível e pensa "e se...", o diferencial mesmo foi já conhecer ela, e a cada detalhe, conversa e risadas daquele dia, eu tive a infelicidade de nutrir um sentimento por ela... Não demorou muito para as coisas rolar entre a gente, tínhamos um entrosamento perfeito, e estávamos lá, indo pra minha casa no nosso primeiro encontro, e o que eu achei disso? Eu realmente tinha me apaixonado pelo brilho do olhar dela, o sorriso dela me trazia pás e a voz dela me acalmava, era tudo que eu queria até o momento, chegando lá ela me explicou que o ex relacionamento dela ainda pesava naquele momento, lógico que eu me desapontei um pouco, mas era apenas uma apaixonisse de momento, dava para reverter, e fiz o que tinha que fazer, falei que não iria servir de ponte para ninguém superar ninguém, acabou que ela dormiu na minha casa... Foi uma das melhores noites da minha vida? CLARO PORRA, E AINDA ELA FOI A PROTAGONISTA DE UMA DAS CENAS MAIS MEMORÁVEIS DA MINHA VIDA. No outro dia, conversamos ainda mais, e na dúvida que eu estava, esperei pelo movimento dela, pra mim tudo é um jogo, cada detalhe e ação conta, e o turno dela foi pedir um Uber pra minha casa, pra passar outra noite comigo, e ela estava incrivelmente linda... maquiada com uma delicadeza... vestido que abraçava a arte corporal dela... e a boca que porta o melhor dos sorrisos...
Foi nesse momento que eu cometi o maior erro de todos, depois de uma noite incrível (outra), eu falei que queria ela pro resto da minha vida, ela ainda estava afetada pela outra, mas o coração dela já sentia alguma coisa por mim, além do relacionamento passado dela, tinha a minha ex...
E então eu entro no meu primeiro inferno.
Sim, é isso mesmo que você está pensando, 4 dias de conversa e eu já estava pedindo ela em namoro, eu não conhecia ela direito, e muito menos ela me conhecia, só que aqueles momentos foram ótimos, e foram por bastante tempos, mesmo com autos e baixos, só que cada vez que ela deitava no meu peito, e a gente conversava fica mais nítido que os dois se amava, e saiu dela, o primeiro "te amo", na qual terei a dor de nunca esquecer, e foi assim que depois de 6 dias de conhecer ela, resolvemos entrar em um relacionamento, depois dela ter completado um mês de sair do dela, e eu de ter tentado incontáveis vezes de retorna com minha ex. Aliás, minha ex... todos nós temos problemas, e o problema dela sempre foi se depender demais de mim, morávamos juntos, e depois de perceber que a gente não daria certo, terminei e voltei pra casa, porém ela era destruída psicologicamente, uma vontade de suicídio constante, e eu tinha medo de isso se torna uma realidade, mesmo terminando com ela, a moça nunca deixou de ter minha importância, antes de sermos namorados, eramos amigos, e isso não acabou, sempre vou me importar com ela, como a grande amiga que ela é. E nossa protagonista não entendia isso, até tentou compreender a gente guardar por um tempo, mas ela queria nos anunciar para o mundo... E no começo eu não entendia o "pra que?" só tentava explica que isso poderia acabar com a vida de uma pessoa, e depois de uma semana nisso, se encontrando todos os dias com ela, resolvi conversar com minha ex. Expliquei pra ela o que estava acontecendo, e que eu tinha encontrado outra pessoa, que não queria perder o contato dela, sendo ela uma das pessoas mais importantes da minha vida, acabou que minha ex entendeu, e ficou ressentida, ela sentia muita coisa, e queria voltar... mas ela seguiu o caminho dela e me deu apoio, ela simplesmente me queria feliz, era só eu correr pro abraço da minha então amada e vocês teriam lido o começo de uma linda história de amor...
E então eu senti pela primeira vez a chama silenciosa do primeiro inferno.
A pessoa cujo eu já chamava de "Vida", não achou isso o bastante, mesmo já declarando nosso namoro, ela queria mais, pediu pra eu cortar contato com minha ex, vulgo melhor amiga, dizia que não daria certo e me pressionou a prometer isso pra ela, e nesse meio termo, eu tive que ver ela tentando reconstruir uma amizade com a ex dela e falhando miseravelmente no mínimo, mas BELEZA, segui deixando a minha ex de lado e fui construir o que eu queria com a pessoa que eu desejava, e nas primeiras semanas, foi maravilhoso, eramos a melhor combinação do mundo, dava pra sentir os outros casais invejando, a gente era mais entrosado que Romário e Bebeto, mais bonito que o sol se pondo em um céu laranjado, muito mais divertido que o todo o elenco dos Barbixas fundido com o Hermes e Renato, se você não entendeu que éramos incríveis, coloca todas as referências ao seu gosto que você vai entender. Só que eu descia mais para o inferno e não sabia.
Os outros níveis do inferno.
Todo mundo briga, não é nenhum erro discordar com alguém, e os lados se alterarem, mas o meu pavio estava curtíssimo... Eu não me aguentava, imagina então os erros das outras pessoas? E eu falava com ela o que me incomodava, e não era coisa básica do tipo "aí não gosto do seu sotaque" tava mais pra "você poderia falar menos putaria no meio da rua entre as pessoas?". E isso foi piorando, e eu não sou nenhum santo, muito pelo contrário, sei que errei de ter falado com ela daquele jeito, e então foi aí que o MEU jogo começou a trocar de estilo, eu percebi que tinha que mudar meu jeito, meu comportamento e minha forma de tratar algumas coisas. Sou explosivo, se tem que brigar, eu brigo, mas cara, eu não queria perder ela, e nessas foi me tocando que poderia ser melhor eu me trancar na fúria e dialogar na calma, e sim, eu me moldei a ela. Não, não errei só nisso, fiz coisas na qual eu não me orgulho e nem sei como aconteceu, porém, eu estava lá, ouvi o dela, e mudei, é um mérito meu, eu quero que você que está lendo tenha sua própria resposta para isso, pois a minha resposta é, não, isso não é um mérito, se você percebe que está errado, você muda, ok! Ok? E eu infelizmente não vou te dar um Plot Twist e falar que estamos vivendo lindamente, pois a gente desceu mais os degraus... No nível de começar a culpar o jeito no qual a gente conversava no whats para poder brigar, ela falava que eu era outra pessoa no whats, que respondia seco e era monossilábico, eu nunca vi isso, para começo de conversar, e ninguém nunca reclamou isso de mim, o que eu achei mais estranho, porém ela falou que outras pessoas que ela mostrava minha conversava concordava com ela, e tentei mudar isso, mandava mas áudio no intuito de ser mais confortável pra ela, e então chegou nosso primeiro mês de namoro...
Eeeeeh laiá, se quiserem numerar os infernos, fiquem à vontade, pois eu não tenho saco.
Eu sempre odiei isso, de mêsversario, maluco, ninguém quer saber que seu bebê feio está fazendo 8 meses, ou então seu relacionamento que ninguém liga está no terceiro mês, sabe quem se importa pro seu relacionamento, você e sua companheira, e... era importante para nós dois... pra mim pelo menos...
Chegou o cujo dia, e eu tinha planejado uma coisa simples, porém de coração. Vinho, uma pizza, janela aberta com iluminação da lua, era um momento especial na qual queria deixar ainda mais especial. Não falei nada, só deixei as coisas acontecer, e eu não sei por qual motivo, mas ela não estava me ajudando para isso (descobri depois o porquê) e meio que ficava "aí vc quer me ver ou não", meio que se não fosse óbvio que SIM, não só pela vontade de ver ela todo o dia, como pela data, e eu falava que queria, porém ela achou que faltou "vontade" nas minhas palavras, e resolveu ir em uma festa no dia que marcava um mês no nosso relacionamento, eu não acreditei, fiquei encabulado, cara, era nossa noite, noite na qual você optou por passar com pessoas que eu nem sabia quem era, e sem mais nem menos, e vamos discutir de novo... Mas dessa vez foi diferente. Fui na casa dela, já tínhamos conversado sobre o que aconteceu pelo telefone, ela falando que eu não fui direto e parecia sem vontade de ver ela, e eu explicando que não, e que ela cagou pra mim e foi pra uma festa como se fosse nada de mais... Acabou que ela me falou que estava muito cansada pra um relacionamento sério, e que achava melhor a gente dar um tempo, até ela se sentir confortável para estar em outro relacionamento... Tudo que eu queria, era não perder ela, concordei como um desesperado, porém falei que não iria aceitar algumas coisas, entramos em um consenso, e agora sim estamos felizes até agora, claro que não...
Depois desse episódio, resolvi me dedicar ainda mais, fazia tudo que dava pra ela, andava pra qualquer canto com ela, ia buscar, levava ela, talvez vocês nem acredita, mas eu mudei a direção do vento só pra ver o vento tirar o lindo cabelo dela da frente do mais belo rosto, e isso não foi o bastante. Ela buscava mais coisas para a gente discutir, com coisas do tipo "não se mexe no celular na companhia de alguém" é até verdade, mas dá pra você abrir uma excessões quando você passa o dia inteiro com a pessoa, mas eu aderi, e continuei me mudando por ela, era meu foco a melhora dela, e ter nossas alianças de volta "sim, eu comprei alianças, e ela tirou quando pediu o tempo". Mas foi aí que as coisas começaram a mudar pra mim, não vou esquecer que a gente passou mais um tempo de boas, mesmo depois dela ter pedido o tempo dela, a gente brigou muito, e nisso eu estava pensando "será que é bom pra nós dois?" só que quando a gente passava a tarde juntos, eu perdia esse pensamento, pois eu amava ela de verdade, cogitei terminar sim com ela, mas a gente conversava e se resolvia, porém foi nessa que eu percebi que só uma pessoa mudava, eu...
E então, chegamos no último inferno.
Essa epopéia estava no fim, e eu nem percebi, mas vamos logo para o último capítulo. Eu já conhecia a família dela, pelo menos a parte que ela sente alguma coisa, e chegou a vez dela conhecer a minha, meu irmão que tava em Brasília veio com a minha prima e era o momento perfeito, minha mãe ia preparar um almoço especial, chamou até minha tia e meu tio, tava tudo perfeito, só não esperava por uma coisa importante, ela não ir... Então vamos lá, bora começar uma semana antes, ela estava mal, se sentindo triste, fui na casa dela e troquei meu melhor amigo (que estava fazendo aniversário) pra ficar com ela, ele simplesmente me implorou para ir, e eu só falei "me ocorreu um imprevisto", era ela o imprevisto, e dei a força que ela precisava, beleza, no outro dia ela saiu com a amiga dela (coisa que me incomodava, já que a amiga dela incentivava ela ficar com outras pessoas, mas dessa vez, eu achei que ela precisava sair da casa dela). Só que ela ainda estava meio pra baixo, e no final de semana, especificamente sábado, resolvemos sair, ela com a galera dela, e eu com meu amigo que eu tinha furado, no domingo era o almoço, beleza, a gente conversou no whats e parou em um momento da noite, eu não me lembro do restante da noite, fiquei muito bêbado (e não, não fiz nenhuma merda de bêbado, só não me recordo de como eu voltei pra casa e que horas), acordei cedo, que é estranho, e antes mesmo de mandar mensagem pra ela, 6h ela me manda um áudio, falando que tava voltando pra casa da amiga dela naquele horário e que não daria pra ir pra minha casa conhecer minha família, eu fui destruído aí, mandei um "tudo bem", esperei até às 7h, fui no mercado comprar as coisas pro almoço, e foi isso, a cada pessoa perguntando, "Hey, cadê a sua Vida", eu simplesmente colocava um sorriso falso no meu rosto e falava "tá passando mal hoje, vai ficar em casa", no meio do almoço ela me ligou, e eu falei que fiquei mal com isso, e que não queria ver ela. E lembra que eu falei que via as coisas como um jogo, foi esse momento que eu pensei em desistir de tudo, o mais forte desse sentimento. Ela veio em casa, e me ouviu dizer que não queria mais aquilo, eu tinha cancelado trabalho pra ir ver a família dela, quando ela ficou na rua pra não ver a minha, mas eu fui fraco, aceitei as desculpas dela... A mesma pessoa que fala que desculpa não é uma palavra, e sim uma ação, e foi nisso que eu me peguei. E no outro dia, ela tinha uma entrevista de emprego online, na qual o entrevistador não foi com a cara dela (e ele foi babaca, ela foi incrível na entrevista), s acabou nela não passando, ficou devastada, e eu ainda meio chateado com ela, larguei de lado esse sentimento, e fui ajudar ela, comprei bebida, a melhor pizza que eu podia pegar (dominos é claro) pra ver ela levando o vinho que peguei pra beber com a amiga dela...
Ok...
Queria muito ver ela, e na sexta foi o dia, IRRAAAAAAAA, vou ver ela, e ela vai passar o dia comigo, vamos ter a melhor noite de todas e nada disso vai acontecer... Tirando a parte de ver ela, eu fui, e passei incrível 3h lá, a amiga dela falou que tava na bad, e pediu pra ela ir lá, e fodac eu. Mas até aí tudo bem, a garota lá precisava de uma companhia, acompanhei ela até um lugar pro Uber ficar tranquilo, e trocamos mensagem até de noite, quando ela resolveu sair... E sumiu... De madrugada (umas 5h) ela falou que a noite dela foi incrível, que conheceu um cara na qual conversou bastante, e que se divertiu muito, e isso foi as últimas coisas que ela me falou no final de semana resto de sábado, domingo e começo de segunda. Então começou a semana, fui entregar currículo já pensando "isso não está acontecendo" "deve ter uma resposta melhor", a única coisa que ela deveria fazer, era me valorizar depois da pisada de bola do almoço, e não contente, ela me pisa na com os dois pés depois, eu precisava entregar aqueles currículos, eles perderiam a data de vencimento, já que no outro dia eu teria 23 anos, e foi o pior dia do meu ano, eu tava visivelmente abalado, cheguei a vomitar no meio da rua, e mandei mensagem pra ela, pra saber se como estava, e ganhei um incrível "oi, c tá bem?". Cara eu já não tava legal, estava no meio da rua mal, e ainda ganho uma dessa, como se fosse um qualquer na vida dela, mandei um áudio pra ela, falei que não tava, que ela tinha sumido final de semana e queria conversar com ela, e sim, já ia com intensão do pior, colocar todas as coisas dela na minha bolsa, e com a pior das hipóteses já terminava ali, só que fui surpreendido... ela responde a porra do áudio com um "ah, não sei oq vc entendeu, nosso lance é casual, eu tive um final de semana cheio, virei duas noites, pipipipopopo" as lágrimas do meu rosto já estava deixando de existir com a falta de senso dela, eu simplicidade liguei e a única coisa que eu consegui falar foi "Eu desisto." Falei que ia encontrar ela e levar as coisas que estavam na minha casa, e pedi pra ela levar as minhas coisas (inclusive as alianças que ficou com ela), quando ela me chega, toda sorridente, fazendo sinalzinho com a mão, e eu não querendo acreditar, não sabendo se ela não entendeu a grandeza dos acontecimentos, ou porquê eu era só um qualquer pra ela, ela sentou na minha frente e disse "aí, eu não vou mais correr atrás de você... E blá blá blá" era uma realidade horrível, eu não estava acreditando que vivia aquilo, eu pedi minhas coisas, dei a dela, e disse tchau, e ela teve a pachorra de me perguntar se eu não ia abraçar ela, será que em algum momento ela percebeu minha expressão facial? Ela olhou pro vermelho dos meus olhos? Ou então notou o tom da minha voz? Eu cheguei em casa, destruído, e desativei tudo que poderia, graças a Deus eu ainda tenho pessoas que se importa comigo, e me ligaram, falei que ia me isolar um pouco e que qualquer coisa poderia me ligar. Foi a pior noite da minha vida, não dormi nada, e não aguentava nada, quando chegou as 7h da manhã, resolvi sair, chorando que soluçava, e fui para o parque, sentei no banco, e fiquei lá, quando a primeira pessoa me liga, me dando os parabéns (sim, era meu aniversário), eu não sabia oq falar e disse que tava ocupado, na segunda eu não consegui enganar, e percebeu minha voz de choro, falei que logo ligava de novo, e na terceira, eu desabei, era minha ex, a única pessoa que eu não esperava, ela sempre sabe quando eu não estou bem, e ela me deu um pouco de energia, me incentivou a ir pra casa, ver minha mãe, e sair com algum amigo, levantei animado, as palavras dela fazia sentido, até lembrar que a única pessoa que eu realmente queria a ligação não fez questão, e aconteceu uma das piores coisas da minha vida, eu simplesmente olhei para um carro na rua, e fui em direção a ele, a sorte que eu tive do cara ter feriado hoje eu vejo que é incrível, a sorte que eu tive de só ter subido em cima do capô dele e ver ele de tão perto atrás do parabrisa só mexendo a boca não entendendo nada que ele falava, sai de cima do carro e sentei na calçada, depois de uma longa conversa entre um grupo de pessoas, um cachorro e comigo mesmo, resolvi ir pra casa, lavei meu rosto e abri a geladeira, minha mãe tinha feito uma torta pra mim e comprado pizza pra fazer de noite, a minha relação com minha mãe é de mais ou menos pra ruim, porém naquele mesmo dia, foi ela que me viu chorar depois de me desejar sorte, sendo que quem eu chamava de "Vida" me deu o pior parabéns possível pelo Instagram.
Até hoje, dois dias depois do meu aniversário, ela não apareceu pra falar qualquer coisa, e eu realmente não quero ver a cara dela, pois eu tô destruído, até agora eu tô recebendo ligação e mensagem de pessoas que realmente se importa comigo, pedindo pra me ver, e eu não conseguindo, porque essa é a pior versão de mim, e eles merecem muito mais que isso, eu tô pensando em tanta coisa ruim agora, e minha mente tá conturbada tentando simular isso como se nunca tivesse acontecido, e eu realmente não consigo acreditar como esses poucos meses, destruíram tanto minha vida.
Você que leu isso até agora, agradeço muito por reservar esses minutos da sua vida pra esse texto, eu começar ele umas 23h da noite, e tô terminando agora 6h17, depois de parar algumas vezes, e me desculpa pelo tamanho. Eu só achei que precisava compartilhar isso com alguém.
Obrigado por ter chegado até aqui.
submitted by nofimnaime to desabafos [link] [comments]


2020.10.27 01:03 jogarfora1991 Eu sempre fui muito certinho

Eu (H 29) sempre fui um cara muito certinho. Não flertava com as mulheres porque era muito tímido. Comecei a namorar tarde, com 23 anos, e dei meu primeiro beijo nessa idade. Com a minha namorada eu sempre tive muito medo de ter filhos e sempre fomos precavidos com relação a isso. Sempre tive o ideal de ter melhores condições financeiras antes de ter um filho. Hoje eu estou chegando perto dos 30 anos, e continuo sem filhos, e nunca estive com outra mulher além da minha primeira e única namorada. Eu começo a pensar sobre estar ficando velho. Hoje muitas mulheres flertam comigo e eu não vou adiante por estar comprometido. Eu gosto da minha namorada, e acho que ficaria absolutamente só se nós terminarmos o relacionamento, pois não tenho muitos amigos e sei que, embora muitas mulheres flertem comigo, na maioria das vezes eu não iria desenvolver uma relação mais profunda com elas mesmo se eu estivesse disponível. Eu sinto que não vivi o que a maioria dos homens viveram, eu sinto falta do jogo de sedução, mas eu gosto da minha namorada e não sei se conseguiria continuar sem ela. Eu sinto que essa vida de solteiro pegador é absolutamente vazia, mas eu também me sinto vazio por não ter tido estas experiências. Complicado, né? Eu inverti a lógica das coisas, pois deveria ter tido essas experiências até encontrar alguém que combinasse comigo, e então ir para o felizes para sempre, depois de passar por muitas decepções. Eu pulei para o final e agora fico eternamente pensando: e se?
Além disso hoje eu começo a repensar todo o meu planejamento com relação a filhos. Ainda acho que não tenho condições de tê-los, embora já seja formado e pós graduado, tenha minhas economias e meus planos traçados. Mas fico pensando se eu não seria mais feliz se tivesse deixado tanto planejamento de lado e engravidado a minha namorada lá atrás, sem profissão e sem dinheiro mesmo. Eu ia passar um sufoco danado, mas hoje eu teria um moleque ou uma garotinha com uns 6 anos de idade para me chamar de pai e a quem eu poderia dar muito amor e carinho (eu até chorei escrevendo isso).
É estranho, mas eu olho para os caras que tiveram filhos não planejados, fora de um casamento, e dão um duro danado para compensar esta "irresponsabilidade" e eu penso que talvez eu seria mais feliz se eu fosse um desses caras.
Talvez a vida devesse ser menos certinha, menos planejada, e mais vivida.
submitted by jogarfora1991 to desabafos [link] [comments]


2020.10.27 00:20 charjasp O BRASIL ACABA DE SE UNIR NUMA GRANDE SALVA DE PALMAS PARA HOMENAGEAR O GRANDE PENETRADOR QUE VOCÊ É

👏👏👏👏👏 EU QUERO MAIS PALMAS, BRASIL, MAIS PALMAS, PORQUE ESSE CARA TRANSA DEMAIS!!!! 👏👏👏👏👏👏 MINHA NOSSA!!!! QUE MÁQUINA DO PRAZER!!! ESSA FESTA 🎂🎂🎂 É PRA HOMENAGEAR A GRANDE MÁQUINA DO AMOR QUE VOCÊ É!!!!! 🎂🎉🎉🎉🎉🎉🎊🎊 🍆🍆🍆 eu tive que PAUSAR o meu Muppets Baby 📺📺📺 e ir CORRENDO 🏃🏃🏃🏃 numa costureira pra fazer uma faixa escrita MAIOR PEREREQUEIRO DO BRASIL, porque não é possível, você parece o Instituto Butantã, todo dia uma perereca diferente quicando nessa tua cama, rapaz! 🐸🐸🐸🐸🍆🍆🍆 se um dia abrir um curso 📕📕📕 no Senai de como encontrar o clitóris, você pode se considerar empregado!! 🐓🐓🐓🐓🐓🐓🐓 Já ta tendo que pagar até o IPTU do motel do tanto que você frequenta!! 🏩🏩🏩🏩 olha, se eu fosse o chefe desse teu PIRUZÃO,🐣🐣🐣🐣 eu te dava um aumento porque tu tá fazendo hora extra 💵💵💵, hein?? com essa CACETA! SEU SAFADO! tu é a ***** do Alok, irmão? vive aí atacando de DJ 💿💿💿🎵🎵🎵 já tá até tendo que lavar a mão 🍆🍆🍆🍆🍆 com Dermacyd! você não se cansa de ser esse atleta da *******??? você nao quer uma aguinha?? 🌊🌊🌊🌊 pode ser com gás ou em gás, eu consigo pra você! vive fazendo esse triatlo do amor!!! 🏊‍♂️🏊‍♂️🏊‍♂️🏊‍♂️🏊‍♂️🏊‍♂️ e transa na cama 🛏🛏🛏, e transa na ducha 🚿🚿🚿🚿🚿, e transa em cima da Saveiro!! 🚗🚗🚗 o espiritismo é real!!!!! porque o Rocky Balboa REENCARNOU NO TEU CACETE!!!!! 👨‍🎤👨‍🎤👨‍🎤👨‍🎤👨‍🎤 que MAMADEIRA 🍼🍼🍼🍼 DE CARNE INCANSÁVEL!!!!
submitted by charjasp to copypastabr [link] [comments]


2020.10.24 23:34 ms-phoenix Fim de relacionamento durante a pandemia

Sai de um relacionamento abusivo para me relacionar com alguém que eu acreditei ser o amor da minha vida. Nos primeiros meses (nessa mesma época, só que em 2019) foi tudo incrível, tudo maravilhoso e foi assim até o início da pandemia.
Eu e meu namorado (agora ex) tínhamos uma vida social ativa que se foi totalmente por conta do isolamento social. Eu sabia que isso iria afetar negativamente nosso relacionamento, então, desde abril insisti para fazermos algo diferente para não deixar o relacionamento cair na rotina.
Ele é um cara muito legal, mas é super preguiçoso, apesar de trabalhar, não faz mais nada além de fumar cigarro (o que eu odeio) e maconha (que eu gosto, mas sem exageros) e dormir o dia inteiro, o final de semana inteiro.
Dito e feito: o namoro caiu na rotina. E DETALHE: nós trabalhamos juntos, ele é meu líder imediato na empresa, o que só piora tudo. Não fazíamos nada além de trabalhar nos dias de semana, e no final de semana fumar maconha e assistir série desde o inicio do distanciamento social.
Eu sempre insisti para começarmos a praticar algum esporte, sair pra acampar, fazer trilha ou QUALQUER outra coisa que não envolvesse ficar chapado trancado dentro do quarto o final de semana inteiro e sempre tinha uma desculpa pra não acontecer isso.
Domingo tivemos uma conversa séria sobre isso e eu disse que não estava feliz, ele jurou que ia mudar, que ia ser mais ativo, que ia encontrar um hobbie e que iria diminuir o consumo de erva porque viu como me fez bem ficar sem (eu estou outubro inteiro sem maconha, álcool, carne, açúcar e redes sociais e me curei de um quadro de depressão por conta desse “detox”).
Quarta feira, sem mais nem menos, me chamou no intervalo do almoço, terminou comigo e me mandou voltar a trabalhar, enquanto foi pra casa chorar. (???)
Eu fiquei bem incrédula, mas não fiquei mal porque já não estava feliz com o relacionamento.
Acontece que em 3 dias desde o término ele já encontrou um novo hobbie, saiu de casa para se divertir e hoje saiu para acampar (com a barraca que compramos juntos e nunca usamos por conta das desculpas).
Eu tô triste, com raiva e me sentindo humilhada, porque, lembram que eu falei que eu saí de um relacionamento abusivo antes de namorar com ele? Então, eu não tenho amigos. Não tenho com quem conversar, com quem sair, com quem ter contato.
Eu me dediquei totalmente a esse relacionamento, sempre fiz de tudo por ele e no primeiro final de semana após terminar comigo, ele faz todas as mudanças que eu venho pedindo há 7 meses.
A história tem muito mais detalhes, que eu não vou nem mencionar pra não deixar o texto mais gigante do que já ficou, mas cara, que situação merda. Tô malzona.
TL;DR: insisti meses em mudanças que fariam bem pro nosso relacionamento e ele só mudou depois de terminar comigo.
submitted by ms-phoenix to desabafos [link] [comments]


2020.10.24 22:07 VixzerZ Porque é tão difícil verificar a procedência de Canil no Brasil?

Galera sinceramente, estou chateada.
Antes de tudo, tenho um cachorro adotado, e tenho pesquisado há alguns meses sobre a aquisição de um cachorro da raça Bull Terrier, não é questão de adotar nesse caso, é questão de conseguir um cachorro com uma raça distinta desde filhote pra poder acostuma-lo bem com o meu vira latão velho de guerra amor da minha vida.
Pois bem, como disse, Estou pesquisando há alguns meses sobre uma raça de cachorro que quero comprar, o Bull Terrier, e agora, depois de verificar que a raça combina com a forma com a qual eu vivo e que eu vou conseguir prover um bom lar para o doguinho, que ele vai se dar bem com o dogão que já tenho, comecei a pesquisar alguns Canis em São Paulo.
Caramba que decepção... a conversa vai muito bem até eu começar a perguntar varias coisas referente ao registro do Canil e dos cães:
Além do registro do Canil junto à prefeitura sei que tenho que verificar se o Canil é registrado junto ao centro de zoonoses local, e ao Kennel club da raça e à Sociedade Brasileira de Cinofilia (por exemplo) , além de ter os exames genéticos (não sei se esse é o termo correto) e do registro do pedigree quando os criadores adoram falar que tem isso e aquilo. E depois disso tudo ainda tentar verificar da melhor forma que eu puder, se os cachorros filhotes/adultos são bem tratados. Faltou algo nessa lista?
Acredito que verificar algumas coisas básicas como estas são minha obrigação, não por causa de um pedaço de papel/documento, mas porque quero tentar encontrar um Canil sério que trata bem os animais e não esses montes que as vezes aparecem nas noticias porque maltratam os animais que dizem "criar".
Não sei se existe alguém que tem um cão dessa raça, Bull Terrier, ou se tem/conhece um canil desta raça aqui no Brasil mas, sinceramente, isso me faz lembrar porque só tenho adotado cães..... eu sinceramente fico com uma dúvida ferrenha quanto à idoneidade desses criadores.... qualquer um falsifica um logo de membro de qualquer associação, fotos e etc hoje em dia. Agora registro em prefeitura e associações cinófilas é mais difícil.
Sei que isso também não é garantia total mas ao menos se a pessoa cumprir com suas obrigações com a lei e com os órgãos de cinofilia acho que já é alguma coisa.
Claro que eles gastam grana, e tempo, e carinho mas não fazem mais nada que a obrigação deles, na minha opinião, já que querem lucrar com a venda de animais, não tem nada de errado em querer lucro, só não vou admitir dar dinheiro pra um canil/criador que não cumpre com sua parte.
Bom... se vocês conhecem um Canil de boa procedência/confiança aceito dicas, se tiver alguém com um Bull Terrier lendo isso aqui e puder me indicar um canil, agradeço muito, claro que ainda vou tentar fazer todas essas verificações mas já é alguma coisa.
submitted by VixzerZ to brasil [link] [comments]


2020.10.17 05:38 POL4RGTS • 𝗨𝗺 𝗱𝗼𝘀 𝗰𝗮𝘀𝗼𝘀 𝗱𝗲 𝗱𝗲𝘀𝗮𝗽𝗮𝗿𝗲𝗰𝗶𝗺𝗲𝗻𝘁𝗼 𝗺𝗮𝗶𝘀 𝗺𝗶𝘀𝘁𝗲𝗿𝗶𝗼𝘀𝗼𝘀 𝗱𝗲 𝗣𝗼𝗿𝘁𝘂𝗴𝗮𝗹. 𝗥𝘂𝗶 𝗣𝗲𝗱𝗿𝗼. •

No dia 4 de março de 1998, em Lousada, Portugal, Rui Pedro Teixeira Mendonça pegou a sua bicicleta após o almoço, por volta das 14 horas da tarde, e apareceu no escritório de sua mãe que ficava perto de sua casa. Ele foi até ela para perguntar se podia sair com seu amigo, Afonso Dias, um caminhoneiro de 22 anos. Sua mãe negou o pedido e disse para ele brincar no campo que era um terreno baldio que era usado para pista de cavalos, atrás de seu escritório.
Por volta das 17:09 da tarde, o tutor de Rui Pedro ligou para os pais porque a criança não compareceu à aula. Eles rapidamente começaram a procurar Rui, porque era estranho já que ele nunca havia faltado.
Após não acharem Rui Pedro pelo bairro, eles entraram em desespero e logo um grupo de busca foi formado. Um vizinho encontrou a bicicleta de Rui escondida atrás de arbustos no mesmo terreno baldio onde ele estava brincando mais cedo.
Como Rui Pedro havia dito à mãe que ele estava planejando se encontrar com seu amigo Afonso, a polícia então o questionou, perguntaram se ele havia visto Rui e ele disse apenas que não, de uma maneira calma. Mais tarde, algumas pessoas disseram que havia visto Rui Pedro conversando com Afonso no terreno baldio dentro de um carro Fiat Uno Preto.
O caro que Afonso estava era de seu irmão. Segundo ele, havia emprestado o carro para Afonso para ele ir ao hospital, mas mais tarde foi confirmado que ele nunca foi até o hospital pois passou o dia inteiro dirigindo pela cidade.
Afonso Dias estava em alterado estado emocional enquanto era interrogado e simplesmente respondeu que não sabia o paradeiro do garoto, mas que a polícia "deveria fechar as fronteiras, pois provavelmente ele estaria muito distante a caminho de outro país”. Alcina Dias disse que Rui estava extremamente nervoso e chorando quando saiu do veículo, dizendo que Afonso o havia forçado a encontrá-la.
Alcina acrescentou que ela tentou acalmar o garoto e perguntou se sua mãe sabia que ele estava lá, o garoto respondeu que não. Rui, em seguida, supostamente partiu no veículo de Afonso Dias. Ela tentou fazer seu depoimento, mas nunca conseguiu identificar Afonso pelo nome.
O padrinho de Rui lembra de ter recebido uma ligação específica de uma criança com a voz muito parecida com a de Rui chorando do outro lado do telefone, ele chamava desesperadamente pela mãe, mas a ligação caiu antes que ele pudesse falar algo.
Em abril de 1998, o comentarista político Nuno Rogério viajou para a Disneyland Paris com sua família. Durante a viagem, a família Rogério tirou várias fotografias enquanto passeava; uma dessas fotos mostra um garoto sentado atrás da família que se parecia muito com Rui Pedro.
Sentado ao lado do garoto está um homem de 40 anos vestindo uma jaqueta vermelha. A polícia portuguesa confiscou as fotografias para uma análise mais aprofundada, mas nenhum progresso foi feito em relação a esse avistamento.
Em 1 de setembro de 1998, policiais prenderam uma operação internacional de pornografia infantil chamada The Wonderland Club. A polícia confiscou mais de 750.000 imagens e vídeos, representando 1.263 crianças diferentes sofrendo abusos sexuais. 16 crianças foram identificadas no vídeo por parentes. Dentre essas fotos, supostamente estava Rui Pedro porém a polícia suspeitou que ele tivesse sido assassinado por seus sequestradores depois de ter sido abusado diante das câmeras por outros membros de um círculo de pedófilos.
Segundo algumas fontes, a mãe de Rui e a Interpol chegaram a falar que era realmente ele nos vídeos e nas fotos, mas a polícia portuguesa descartou essa evidência. Segundo algumas fontes, havia um pedófilo do The Wonderland Club que estava morando em Portugal naquela época.
Na Suíça, foi ouvido um garoto dizer em um restaurante em 2007: "Eu sou raptado de Famalicão e a mim ninguém procura". A polícia não informou, dizendo que a pista não era consistente. Também foi apontado que poderia ser Rui Pereira, desaparecido dois dias antes de Rui Pedro.
No primeiro dia do desaparecimento de Rui Pedro, diversos de seus amigos relataram na delegacia que Afonso estava obcecado com Rui. Ele sabia tudo sobre a vida do garoto, onde ele estava, com quem estava e o que faria no dia seguinte.
No primeiro dia do desaparecimento de Rui Pedro, diversos de seus amigos relataram na delegacia que Afonso estava obcecado com Rui. Ele sabia tudo sobre a vida do garoto, onde ele estava, com quem estava e o que faria no dia seguinte.
Mas a polícia acabou descartando, achando que eles estavam mentindo. Somente em 2011 essas crianças foram tidas como testemunhas confiáveis. No mesmo ano, Alcina Dias finalmente o identificou em um tribunal.
Um ano antes do desaparecimento de Rui Pedro, sua irmã chegou a relatar que Afonso tirou diversas foto dela e de Rui, algo que ele nunca tinha feito antes.
Em 3 de outubro de 2014, Afonso Dias foi condenado a três anos de prisão pelo sequestro do menor durante a tarde do seu desaparecimento, e não para o próprio desaparecimento. Em 18 de março de 2015, foi levado para a prisão por seu advogado depois do mandado de detenção.
Ele cumpriu uma sentença de três anos, que foi reduzida para dois anos por bom comportamento. Em Março de 2017, Afonso saiu da prisão em liberdade condicional após ter cumprido dois terços da pena.
“As pessoas já perceberam que nada tive a ver com o desaparecimento. Se eu fosse culpado, não conseguia viver em Lousada e ninguém gostaria de mim”, constata.
“Fui uma vítima neste processo. Aliás, eu e o Rui Pedro fomos as duas vítimas”, acrescenta, reafirmando a sua inocência e salientando que foi alvo de grande injustiça.
Em 28 de janeiro de 2020, Rui Pedro celebrou o seu 33º aniversário e a mãe, mais uma vez, recordou-o com saudade. Em uma carta arrepiante e cheia de emoção, Filomena Teixeira recorda o filho e deixa-lhe palavras de amor.
Uma carta dura, publicada no jornal ‘Terras do Vale do Sousa’, na qual a mãe manifestou o seu amor eterno por Rui: “E agora já com 33 anos, que aspeto tens? Como estás? Parabéns meu filho! Onde quer que estejas, recebe este abraço apertadinho tão nosso… e muitos beijinhos”.
Filomena Teixeira, mãe de Rui, relatou que o seu pai gastou todo o dinheiro que podia à procura do neto, para aliviar a dor da família, e que era chamada para ver vídeos de pedofilia. “Vi coisas horríveis. A partir das 4 horas da manhã é que se consegue ver os pedófilos atuar.
”Mostravam-me crianças a serem violadas e eles a terem prazer com o choro. Masturbavam-se à custa disso. Estava a ver as imagens, para ver se algum deles era o meu, e cheguei a um ponto em que não conseguia mais".
Rui Pedro continua desaparecido até nos dias de hoje, o caso criminal marcante, nunca teve uma explicação confirmada.
submitted by POL4RGTS to historias_de_terroor [link] [comments]


2020.10.14 12:19 DonaBruxa_Deyse Sobrenatural-Verídico

Preciso dividir isso com vocês! Relato de uma consulente que me procurou desesperada por ajuda espiritual. E irmãos de fé, me ajudem porque nunca lidei com isso não!
Eu ouvi todo o relato. Quanto mais ela contava, mais certeza eu tinha de que se tratava de SETEALEM!
Ela relatou que em maio, devido a pandemia e quarentena, sua família resolveu que seria melhor todos ficarem juntos no sítio dos pais dela, em Sorocaba. Disse que desde o momento que fazia a mala deles, uma sensação de que algo daria errado, pesava. Foi na gaveta do seu filho, que encontrou uma camiseta e um shorts que nunca, jamais vira antes. As roupas estavam sujas, eram velhas, encardidas e cheiravam mal. Nunca teve diarista em casa. Como poderiam aquelas roupas estarem ali? Perguntou pro pessoal e ninguém prestou atenção. Ninguém nunca presta. Naquele dia não estava a fim de começar a gritar tão cedo. Mas estavam todos estressados com os preparativos e ela sozinha pra fazer tudo, deixou pra lá! Enfiou as roupas numa sacola de mercado e deixou no chão, do lado da máquina de lavar na área de serviço. Ela, marido, a filha de 18 anos e seu filho de 5, saíram de São Paulo e seguiram pro interior. Durante a viagem, pra chegar no sítio, passam por uma estrada de terra. Seu filho de 5 anos disse algo que naquele momento não fez sentido algum: - Nem acredito, mãe, que estamos perto da casa do meu melhor amigo que ainda vou conhecer! Eles não deram atenção alguma pro menino. Minutos depois, ouviram um barulho como se tivessem passado por cima de algo na estrada e um dos pneus explodiu. O marido dela controlou o volante e estacionaram. Ele desceu e confirmou que o pneu tinha estourado. Ela pegou o celular pra avisar seus pais sobre o acontecido e que por isso atrasariam. Notou que não tinha sinal de rede em nenhum dos celulares. Não tinha no dela, não tinha no do marido, nem no da filha! Marido trocava o pneu e xingava porque ele nem queria ficar com a família dela! Nisso ela se virou pra trás porque percebeu que o menino estava acenando pro nada todo feliz! Sua filha começou a implicar com o irmão e disse: - Olha mãe, moleque doido! Começou já com as graças. Nisso o menino responde: - É o meu amigo! O amigo que vou conhecer. Olha mãe! Olhaaaa lá! Ela estava cansada, com fome, vontade de fazer xixi, sede e aquilo deixou ela mais puta ainda e nem se deu ao trabalho de responder os filhos. Pneu trocado, seguiram viagem na força do ódio. Uns quilômetros a frente, passaram por um posto de conveniência. Nunca vira esse posto antes. Não era a primeira vez que fazia aquele caminho. O sítio era da família desde que os avós dela casaram. Sua mãe nasceu ali. Ela foi criada ali e fez aquele caminho milhares de vezes desde bebê! Era um posto velho. Tão depredado que parecia estar desativado. Desativado se não fossem uns carros antigos também caindo aos pedaços estacionados em frente. Quem coleciona carro caindo aos pedaços?!?!? Comentou com o marido: - Meu amor, e esse posto que nunca vi na vida! Você viu?! O marido já exausto, responde: - Não prestei atenção! Mas se não viu antes é porque você é cega. Nem olha com essa cara porque você responde pra mim desse jeitinho sempre! Ela respirou fundo pra não começar uma briga ali... faltava tão pouco...perguntaria pro pai dela quando chegasse lá! E foi a primeira coisa que perguntou pro pai depois de abraçá-lo. O pai dela achou engraçado e respondeu que depois di galpão da firma tinha mais nada até chegar no sítio não. Tinha sim! Tinha porque ela viu! Mas também resolveu deixar pra lá esse assunto. A primeira semana foi uma maravilha! No final de semana seguinte, a irmã dela chegou com a família. A avó cozinha umas delícias. Os homens faziam churrasco e tomavam cerveja à vontade. O marido que não queria vir era o que mais aproveitada! A criançada brincava, pulava na piscina, corria livre, dormia e acordava tarde. Mas ela notava o filho dela meio aéreo, mais calado e não estava interagindo com os primos. Algumas vezes teve a impressão de ouvi-lo conversando/ cochichando com alguém mas quando se aproximava, ele se calava. Num sábado, resolveram fazer lasanha, mas faltava queijo, presunto, carne moída pro molho e extrato de tomate. Alguém teria que ir no mercado e pela primeira vez na vida, a filha dela se dispôs a buscar. A menina era habilitada há meses, dirigia por São Paulo, ia e voltava pra faculdade sozinha com o carro da minha cliente. E que perigo teria naquela estrada de terra, pouco ou nenhum movimento e ela iria até o supermercado mais próximo. O filho dela e os sobrinhos quiseram ir também e providenciaram suas máscaras e correram pro carro. Entregou uma nota de 100 reais pra sua filha fazer as compras. Ela me contou chorando que sua consciência pesa por ter pensado e falado pra irmã: - Graças a Deus, pelo menos por uma hora, teremos paz sem essas crianças gritando e correndo! A gente merece um pouco de silêncio sem filho gritando por mãe. A irmã dela riu e concordou.
Segundo ela, olhou no relógio na parede da cozinha, e faltava uns minutos pro meio dia.
O desespero estava pra começar!
Tinha passado uma hora desde a ida e nada dos sobrinhos e dos filhos voltarem. Resolveu ligar pro celular da filha e caia direto na caixa postal! Ligou dezenas de outras vezes e nada. Gritou o marido que estava na churrasqueira. Ele, o cunhado e o pai dela estavam bebendo desde às 8 da manhã. Quando ela relatou sua preocupação, eles não levaram a sério. Segundo os homens, as crianças logo estariam de volta...e foram beber mais. O coração dela apertou e lembrou do posto que vira na estrada, do filho acenando pro nada... não fazia sentindo, mas só pensava nisso. Tentou ligar mais vezes e como nada de atenderem, ela e a irmã pegaram outro carro e foram atrás dos filhos. De longe viram o carro que a filha dirigia encostado na estrada. Ela sentiu alívio por alguns segundos porque quando se aproximaram, o carro estava vazio. A irmã dela até aquele minuto parecia estar muito preocupada não. Porém, desceu do carro chorando. O carro estava parado sentido cidade ou seja, eles nem chegaram ao supermercado. Não tinha sinal deles! Sumiram! O celular não tinha rede, sem serviço e não tinha como pedir socorro ou ligar pra família. As pernas dela tremeram e caiu ajoelhada na terra rezando, pedindo a Deus por ajuda. Nessa hora, ela só lembrava que tinha sido ali que vira o posto de conveniência. Meio ao choro e grito contou pra irmã que vira o tal posto no caminho pro sítio. A irmã dela sem entender já gritou que nunca teve posto ali merda nenhuma. Minha cliente resolveu que iria encontrar o posto porque tinha merda de posto sim! O carro era da irmã dela que respondeu no gritou que não sairia de perto do carro, caso os filhos voltassem. Alguém tinha que avisar a família que estacavam em casa sem saber de nada! Entre gritos e mais choro, resolveram que a irmã voltaria pra avisar os outros e do sítio, ligaria pra polícia. Minha cliente esperaria no carro. Lógico que não conseguiu esperar e decidiu que procuraria por eles. Saiu com o carro que a filha dirigia. Dirigiu até o galpão da firma que tinha na estrada! Nada do posto. Fez o retorno, foi até o lugar que encontraram o carro abandonado e nada. Ela me contou soluçando que não era possível aquilo estar acontecendo. Desespero tinha atingido nível máximo! A irmã não voltava e a hora estava passando... e se ficasse noite?!?!? O que teria acontecido? Assalto? Sequestro? Nesse desespero fez o trecho até a firma, ida e volta, umas 5 vezes até cruzar com o carro da irmã. Vieram o marido, seu pai, cunhado e irmã. A avó ficou em casa, caso a polícia ou as crianças ligassem. Os homens bebados, ela e irmã histéricas! Ninguém se entendia. Depois de muita discussão quando tinham chegado à conclusão que o melhor era ir até a delegacia fazer um boletim, chega uma viatura com dois policiais. Ela tomou a frente e contou o ocorrido. Falou sobre ter visto por ali um posto de conveniência. Nessa hora os dois policiais se entreolharam. O marido dela emendou que ela era doida e que outra vez estava falando desse maldito posto. Um dos policiais, muito calmo contou que apesar de não existir nenhum posto naquele trecho, não era a primeira pessoa a relatar ter visto um. Sem contar muitos detalhes, falou que também não era a primeira, nem segunda vez que pessoas se perdiam e desapareciam naquela estrada! Os polícias pediram para que todos seguissem até a delegacia. Minha cliente e o marido, foram no carro encontrado na estrada e os outros, no carro da irmã. Na delegacia, um boletim de ocorrência foi feito. Mas todos os policiais ao ouvirem o relato, se entreolhavam de modo muito estranho. Só minha cliente notou. A polícia deveria esperar 24 horas após o desaparecimento pra iniciar as buscas! Um daqueles dois policiais que atenderam a ocorrência na estrada, disse baixinho pra minha cliente ficar calma que as crianças apareceriam. Porque todos tinham voltado de lá! Ainda na delegacia, ligavam de minuto a minuto pro sítio com esperança de receber boas notícias. Saíram da delegacia, por volta das 23 horas, ligaram mais uma vez pro sítio no caminho de volta. Nada! Ela e o marido não trocaram uma palavra...ambos choravam! Porém, ao estacionar o carro, ouviram as vozes das crianças e da avó. Ela sentiu um alívio e entrou na casa, agradecendo a Deus. Quando correu pra abraçar os filhos, paralisou. Impossível! Era impossível seu filho estar vestindo o shorts e a camiseta que ela tinha tirado da gaveta e deixado dentro de uma sacola deixada no chão da lavanderia, na sua casa em São Paulo! NÃO ERA POSSÍVEL!
Relato das crianças e da filha:
A filha contou que enquanto dirigia pro supermercado, viu o posto de conveniência, seu irmão, o filho da minha cliente de 5 anos, ao ver o tal lugar pediu pra parar ali! Ele pediu tanto, apelou usando “ por favorzinho” que convenceu a irmã a parar pra comprar tudo ali mesmo. O estacionamento da tal conveniência estava lotado de carros antigos. Seria melhor deixar o carro na estrada. Pensou que fosse um desses encontros de colecionadores de carros antigos. Nunca tinha visto nenhum daqueles modelos antes! A menina ainda relatou ter pensado em como alguém compraria ou colecionaria “uns trem” tão mal cuidado, caindo aos pedaços?!?!?!?!? Mas que só poderia ser coisa de”véi” mesmo. Entraram todos no estabelecimento e “bizarro” foi o termo usado ( pela filha dela) pra descrever o local e as pessoas! -Era um povo feio, tudo com pele amarela de doente, dentes podres, os homens e as sobrancelhas grossas e unidas... inclusive a de todas as mulheres! Até as crianças eram horrorosas... Crianças tinha fisionomia de velhas e sofridas! O lugar fedia! Fedia podre! Uma barulheira, todo mundo berrando, tocava uma música que ela não conseguia explicar. Era um ruído que estava grudado na cabeça dela. A música era um xiado fino, alto que dava a impressão de estar tocando dentro do corpo dela. A música machucava o seu pensamento. Era uma penumbra... uma luz que não iluminava e era difícil enxergar as coisas... ela tinha que forçar os olhos, piscar algumas vezes até distinguir os objetos ao redor. Objetos que nunca vira! Não dava pra imaginar a utilidade deles! Eram muitos corredores e prateleiras cheias de comida e coisas sem sentido! Enquanto se concentrava pra lembrar tudo que precisava comprar pra lasanha, a música dentro dela apagava as palavras. Ela fechou os olhos e forçou a memória... Talvez a força do seu pensar fez a música parar. Fez as pessoas pararam de gritar! Sentiu as maozinhas dos seus primos agarrarem sua mão e sua roupa. Ela sabia que estava chorando. Disse: - Mãeeeeee, fiquei com medo de abrir os olhos porque eu senti o peso daquele povo bizarro encarando a gente. Só abri porque ouvi um deles( referindo a um dos primos) dizer meu nome! Quando abri os olhos, meu irmão tinha desaparecido. Ele tinha sumidoooooo!!! Mãeeeeee, ele sumiu e não foi culpa minha... foi um segundo! As luzes começaram a piscar. Era uma luz sem cor, parecia que estávamos dentro de uma das fotografias daqueles binóculos da vovó! E as pessoas apontavam o dedo na nossa direção, gritando...eles gritavam sem mexer a boca: INTRUSOS, SAIAM DAQUI! SAIAM DAQUI! SAIAM DAQUI! VOCÊS NÃO PODEM FICAR AQUI, SAIAM DAQUI! Eu olhei pra uma senhora que estava bem próxima de nós e pedi ajuda. Contei que precisava comprar o que a mae nos pedira ... perguntei se ela tinha visto pra onde fora meu irmão. Mostrei o dinheiro! Ela riu!Quando ela abriu a boca sem nenhum dente, senti um bafo tão podre que o vômito quase saiu! Os primos estavam chorando, tremendo agarrados em mim! Comecei a chamar ele ( irmão/filho 5 anos)... e os bizarros, outra vez começaram : INTRUSOS, SAIAM DAQUI! SAIAM DAQUI! SAIAM DAQUI! VOCÊS NÃO PODEM FICAR AQUI, SAIAM DAQUI!
Eu não conseguia me mexer. Não dava pra andar!
E a música entrou em mim outra vez, mais alta e barulhenta! Minha cabeça doía e achei que desmaiaria. Nunca desmaiei... nas sabia que estava pra cair dura no chão! De repente, mas um de repente que pareceu horas, meu irmão aparece de mãos dadas com um bizarro tamanho criança. Ele veio dizendo que era o amigo que ele disse que conheceria aquele dia no carro no futuro. O bizarro chegou perto da gente dizendo que também me conhecia! Que já tinha falado que ( o filho de 5 anos) deveria fazer comigo o que (ele, bizarro!) tinha feito com a irmã dele! Eu puxei ele( apontou pro irmão) pra perto da gente! Mãe, ele não queria vir com a gente! Disse que ficaria com o amigo lá. Aí eu fiquei louca, fui arrastando todo mundo pra fora! O bizarro amigo dele, disse pra eu não falar alto porque “O ALGUEM”poderia acordar e pegar a gente pra ele! Eu mirei o rumo da porta, comecei a correr, as crianças também e o bizarro atrás da gente. Tinha escurecido. Era noite! Tinha neblina, um frio que esfriou meus ossos. Daí a gente correu muito! A gente corria e não chegava nunca até a estrada! Mas quando conseguimos, eu olhei, eu pisquei pra ver melhor e o carro tinha sumido. Sumidooooooo! O carro não estava mais lá! Sentamos no meio fio, meu irmão chorando porque queria voltar pra ficar com o amigo, os primos pedindo pela tia! Eles tremiam e batiam os dentes de frio! Entrei em pânico,porque como eu explicaria que perdi o carro, não comprei as coisas! Foi aí, que vi você mamãe, passar na nossa frente dirigindo nosso carro. Gritamos, corremos atrás de você, acenamos e você não olhou! Você não ouviu a gente gritar! Maeeeeee, você foi e voltou, foi e voltou, foi e voltou! Depois passou a tia em outro carro com o pai,o vovô e o tio! Mãe e tia, vocês nos ignoraram na beira da estrada. E aquela peste do moleque bizarro, de longe morrendo de rir da gente e gritando BEM FEITOOOOO! Como se não bastasse tudo isso, começou a ventar forte e a tempestade começou a cair. Ficou mais frio e a gente não conseguia respirar de tanta água que caia. A solução foi vir a pé, estrada escura, com chuva...Andamos até aqui!
OS SOBRINHOS:
-A gente ficou com muito medo! - Eu fiquei com tanto, tanto medo que fiz xixi na calça. -Eram monstros! - Eles queriam comer a gente! -Você não viu?!?!? Eles iriam picar a gente pra vender como carne moída! -Sera?!? E choraram muito. Ainda não conseguem dormir sozinhos em seus quartos. A luz tem que ficar acesa! Quando dormem, têm pesadelos e acordam aos berros!
O FILHO DE 5 ANOS:
-Mãe, foi legal. Sabia que meu amigo morava ali? Eu disse! Ele me visitava as vezes nos sonhos. Mesmo quando eu sonhava acordado e de dia! Hoje, a gente brincou de esconde-esconde e pega-pega!Fui na casa dele e comi comida lá! Sujei minha roupa de sangue e a mãe dele me emprestou essa. Essa roupa é do meu amiguinho! Ela falou que vai lavar a minha e depois trazer aqui pra você! Me convidaram pra ir lá outras vezes, passar as férias. Falei que pediria pra mamãe e pro meu papai! Foi super legal e meu amigo disse que já tinha me visto lá no futuro muitas vezes e que morarei com eles pra sempre! Pra sempre é muito tempo? Posso, mamãe? Deixa, por favorzinho?Por favorzinho? Eu convidei ele pra vir aqui amanhã brincar comigo, tá? Se você falar com a mãe dele, ela poderia deixar ele dormir aqui, né?!?!? Deixa, por favorzinho... diz que sim, mamãe!
Voltaram TODOS PRAS SUAS CASAS EM SÃO PAULO no dia seguinte, assim que o dia clareou. Os pais dela colocaram o sítio à venda e moram com ela, por enquanto. Minha cliente acredita que existe um lugar além. Ela tem certeza absoluta e provas disso! Está apavorada. Seu filho fala, brinca, canta, dá gargalhadas e afirma que o amigo está ao lado dele! Assim que entrou na sua casa em SP, correu até a lavanderia. Ela encontrou as roupas que seu filho usava no dia do sumiço. Estavam dentro da sacola, ao lado da máquina de lavar!
submitted by DonaBruxa_Deyse to u/DonaBruxa_Deyse [link] [comments]


2020.10.13 00:10 AdsonLeo [Encontro Miojo #06] Uma União Abençoada (2º Level, D&D 5e)

Olá reddit! Mais um encontro aqui para vocês. Como sempre, também está no meu blog.
Para os mais atentos a inspiração para este encontro será óbvia de cara. Ou talvez nem precise estar tão atento - está no nome de uma das personagens. De toda forma, fiquei receoso com ele no início mas cresceu em mim e gostei da forma como tratei os integrantes e situação. Além de ser mais um focado numa aventura específica mas facilmente adaptável para qualquer cenário.
Este encontro é equilibrado para um grupo de 4 personagens no level 2. Nomes em negrito se referem a criaturas encontradas em material de D&D 5ª edição e serão seguidos por uma notação entre parênteses com o nome do livro e página em que se encontram.

Localidade

Uma sala de laboratório que pode estar presente em quase qualquer lugar. A localização imaginada por mim é em uma das muitas cavernas do Underdark e o encontro se passa durante a aventura Out of the Abyss.

Resumo

Durante suas viagens por masmorras e cavernas tão antigas quanto o mundo o grupo se vê no que sobrou de um antigo laboratório. Nele estão presentes duas criaturas - um myconid adulto e o que parece ser um cadáver feminino reanimado. Ambos dançam para uma música inexistente.
Logo é possível descobrir que este cadáver é de uma pesquisadora. Esta morreu envenenada pelo próprio objeto de estudo - o myconid que hoje dança consigo. Em busca das maravilhas mágicas e químicas que os esporos da critura produziam, a pesquisadora não teve tempo ou energia pra cuidar de si e, pouco a pouco, perdeu as forças graças a toxicidade dos produtos que manipulava.
O myconid, platonicamente apaixonado por aquela que o estudou durante meses, utilizou de seus esporos para reanimar o corpo. Ato de amor tão genuíno e ingênuo chamou a atençao de Zuggtmoy, a própria rainha dos fungos, que abençoou a relação e permitiu ao corpo ter consciência e se manter animado por tempo indeterminado.

Uma Dança Alucinante

Ao atravessar uma porta secreta numa masmorra ou virar um curva estreita enquanto seguem para a próxima cidade em busca de refúgio, o grupo se depara com uma passagem. Espiando por ela é possível ver uma sala que servia de laboratório há algum tempo atrás. Existe uma mesa e cadeiras, armários, baús, livros, recipientes de vidro e toda sorte de instrumentos utilizados para pesquisa mágica e química. Fungos diversos cobrem paredes e chão. O lugar é abafado e esporos a milhão flutuam e deixam o ar denso e pesado de respirar.
No centro da sala duas figuras humanoides dançam para uma música que ninguém mais houve. Uma delas, uma drow spore servant (Out of the Abyss, 229) e a outra um myconid sovereign (Monster Manual, 232 com a variação Zuggtomoy's Empowerment presente em OotA, 228).
A spore servant é o cadáver reanimado da pesquisadora Marie Curie. O valor de Inteligência é 10 e ela possui consciência e parte das memória de quando ainda era viva. Uma drow orgulhosa de seu trabalho, ela passava os dias e noites estudando os myconids e vida fungal do Underdark. Nos últimos anos observara toda sorte de efeito produzidos pelos esporos expelidos por essas criaturas. Boa parte dos esporos oferecia baixo risco ou eram danosos o suficiente para ela aprender evitar. Porém, um destes produtos possuía um efeito cumulativo e, virando noites sem descansar para continuar trabalhando, Marie não conseguiu manter seu corpo saudável. Eventualmente ela morreu graças à contaminação.
O myconid é um dos que Marie estudava. Todos os demais foram embora após a morte dela. Este, por sua vez, ao longo dos meses desenvolveu afeto pela pesquisadora e, utilizando de sua habilidade Animating Spores, trouxe o cadáver de volta à vida. Desde então os dois não saíram do antigo laboratório e dão voltas pelo lugar, ensaiando passos de dança tortos.
O corpo animado de Marie deveria deixar este estado após poucas semanas e não possuir consciência alguma, e nenhum dos esporos lançados pelo myconid os faz dançar. Na verdade myconids não sabem nem mesmo o que é dançar ou música. Estes efeitos são causados por Zuggtmoy, rainha dos fungos. Através de sua influência os myconids começam a apresentar comportamentos estranhos, como bailar em sua homenagem para música alguma, ou a produção de esporos mais potentes que podem causar loucura ou mesmo levar a morte através de exaustão.
Uma vez que foi reanimada por esporos, Marie está totalmente à mercê de Zuggtmoy, assim como o myconid. Ela não mais possui interesse na pesquisa e tudo o que quer, como o companheiro, é cultuar eternamente a sua rainha.

O Encontro

Se perceberem os personagens ambos ficam em alerta mas não evitam diálogo. São amigáveis logo de cara e não se opõem caso o grupo queria entrar no lugar. Eles adoram falar sobre o quão bondosa é a rainha, como ela permitiu Marie voltar dos mortos para sempre e que tudo ficará bem assim que todos se entregarem à sua graça. Eles constantemente oferecem ao grupo a chance de receberem a benção da rainha.
[Se algum dos personagens aceitar a bênção, o myconid lança sobre ele esporos especiais. Este personagem recebe o Zuggtmoy's Gift, descrito na página 73 de OotA.]
Marie ou o myconid possuem alguma parte das memória intactas e podem compartilhar detalhes sobre a antiga vida. Eles respondem de forma direta e rápida, como obrigação, preferindo falar sobre a rainha e sua eterna bondade. Se pressionados demais a contar do passado ou se forem contrariados nas suas opiniões sobre a rainha eles começam pouco a pouco se tornar mais hostis. Ficando muito acalorada a discussão um combate pode ser iniciado.
Os dois lutam até a morte. Graças a influência de Zuggtmoy eles entram numa fúria descontrolada se precisarem atacar.
Se forem deixados em paz eles apenas continuam a dançar em louvor. Marie não se importa que os personagens vasculhem suas coisas. É possível encontrar seu diário e notas descrevendo a pesquisa, informações sobre myconids e fungos do Underdark, algumas moedas e até montar o equivalente a um Alchemist's Supplies.
É possível tirá-los do delírio induzido por Zuggtmoy com o uso de magias como Remove Curse ou Greater Restoration. O myconid volta ao normal quando curado. O corpo de Marie tomba no chão e não mais se move. Se isso for feito o myconid entra em estado catatônico e não deixa o lado do corpo. Qualquer tentativa de interação com ele é inútil e não encontra resposta.

O Que Vem Depois?

  • [Caso utilize este encontro em OotA] A dupla compartilha informações tenebrosas sobre os planos dos lordes demônios para o Underdark e a situação no Neverlight Grove.
  • Zuggtmoy não ficou nada feliz com o grupo de aventureiros que invadiu o lugar e desmanchou tão linda união que ela permitiu. Eles precisam pagar.
  • O myconid, desolado após a morte definitiva de Marie, estala de volta a consciência. Aqueles malditos que acabaram com tudo o que ele tinha precisam saber como é perder o que ama.
  • Investigando as anotações da pesquisadora os personagens encontram uma informação chocante!
  • Um (ou mais) dos personagens recebeu o presente de Zuggtmoy e abriu as portas de sua mente e alma para a rainha dos fungos.
Gostou da aventura? Tem alguma crítica, elogio ou sugestão? Deixe um comentário! Se tiver usado alguma ideia apresentada no texto comente aí como foi, adorarei ler como tudo se deu na sua mesa. Até a próxima.
submitted by AdsonLeo to rpg_brasil [link] [comments]